Parlamento desconvoca iniciativas previstas para terça-feira

Tragédia de Pedrógão e três dias de luto nacional ditam alteração na agenda parlamentar.

Assembleia em suspenso até terça-feira
Foto
Assembleia em suspenso até terça-feira Miguel Manso

A Assembleia da República comunicou hoje o cancelamento de uma conferência na terça-feira e o vice-presidente Jorge Lacão pediu aos presidentes das comissões parlamentares que desmarquem as reuniões previstas, disse à Lusa fonte da mesa do Parlamento. Tragédia de Pedrógão e três dias de luto nacional ditam alteração na agenda parlamentar.

Jorge Lacão (PS), vice-presidente do Parlamento, que se encontra a exercer a presidência da Assembleia da República na ausência de Ferro Rodrigues, pediu para que não fossem marcadas novas reuniões para terça-feira, e em relação às já previstas que sejam desmarcadas, explicou à Lusa o secretário da mesa Duarte Pacheco (PSD). Trata-se de um pedido que os presidentes das comissões devem seguir, o que está a acontecer, tendo já sido formalmente desmarcadas reuniões de comissões previstas.

Na terça-feira realiza-se uma conferência de líderes parlamentares extraordinária para reagendamento dos trabalhos do Parlamento, devido à tragédia ocorrida na zona de Pedrógão Grande.

Uma conferência sobre o Aeroporto do Montijo, promovida pela Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, prevista para terça-feira, foi igualmente cancelada, "tendo em consideração a declaração oficial de luto nacional", de acordo com um comunicado do Parlamento.

Jorge Lacão está em Pedrógão Grande desde domingo, em representação do presidente do Parlamento, porque Ferro Rodrigues se encontra ausente do país. A acompanhar Jorge Lacão encontram-se deputados da Comissão Parlamentar de Agricultura e Mar.

O fogo, que deflagrou às 13h43 de sábado, em Escalos Fundeiros, concelho de Pedrógão Grande, alastrou depois aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pêra, no distrito de Leiria, e entrou também no distrito de Castelo Branco, pelo concelho da Sertã.

O último balanço dá conta de 62 mortos civis e 62 feridos, dois deles em estado grave. Entre os operacionais, registam-se dez feridos, quatro em estado grave. Há ainda dezenas de deslocados, estando por calcular o número de casas e viaturas destruídas.

O Governo decretou três dias de luto nacional, até terça-feira.