Incêndio em Londres: o material que revestia o prédio está proibido no Reino Unido?

Ministro da Economia, Philip Hammond, acredita que sim. Presidente da câmara de Londres diz que não.

O incêndio matou 58 pessoas; ainda há algumas desaparecidas
Foto
O incêndio matou 58 pessoas; ainda há algumas desaparecidas Neil Hall/Reuters

O revestimento do prédio que ardeu em Londres, matando 58 pessoas, era feito com um material que está proibido no Reino Unido? O ministro da Economia do Reino Unido, Philip Hammond, acredita que sim.

O prédio de habitação social no bairro londrino de Kensigngton, onde viviam entre 400 e 600 pessoas — há um número não definido de desaparecidos — ardeu como papel, como disse uma testemunha. Estava revestido com um compósito de alumínio e polietileno, colocado para embelezar o edifício e dar-lhe mais eficiência energética. Hammond questiona se é legal o uso de polietileno, um plástico.

"Creio que o revestimento em causa, esse revestimento inflamável que está proibido na Europa e no Reino Unido, também está proibido aqui", disse o ministro este domingo. Hammond explicou que a investigação à tragédia vai determinar se houve violação dos regulamentos quando se usou o material.

"Estamos perante duas questões distintas: as nossas leis estão correctas e permitem o uso de materiais adequados, e proíbem o uso de materiais incorrectos?", disse o ministro da Economia.

O presidente da câmara de Londres, Sadiq Khan, disse que o que está em causa é exactamente isso: saber se os regulamentos proíbem o uso de materiais inadequados. Os regulamentos devem ser revistos, disse à BBC este domingo.

"O compósito usado parece estar dentro da lei, mas deve ser usado para revestir edifícios? O que foi usado estava em condições? E quantos prédios estão revestidos com este material?". Khan disse que o Governo deve investigar e dar imediatamente respostas a estas perguntas.