Julgamento de Bill Cosby por crimes sexuais foi anulado

Os jurados não chegaram a uma decisão consensual e o julgamento do actor, de 79 anos, acusado de abuso sexual, foi anulado.

Reuters/CHARLES MOSTOLLER
Foto
Reuters/CHARLES MOSTOLLER

O júri no processo judicial de Bill Cosby, constituído por cinco mulheres e sete homens, não conseguiu chegar a um consenso e o julgamento do actor foi anulado neste sábado. Bill Cosby, de 79 anos, estava a ser julgado por abuso e agressão sexual, depois de anos de acusações e acordos sigilosos.

O actor negou repetidamente qualquer responsabilidade quanto às acusações que abrangem uma série de casos que remontam à década de 60. Este processo judicial diz sobretudo respeito a um caso que remonta a 2004, quando Andrea Constand alega que o popular entertainer lhe deu três comprimidos que a incapacitaram de resistir a actos sexuais. A assistir ao julgamento estavam membros do público e várias mulheres que tinham anteriormente acusado Bill Cosby de abusos sexuais similares.

Camille Cosby, a mulher do actor, acusou vários órgãos de comunicação social, o juiz e os procuradores de serem parciais, num comunicado lido por uma representante de Bill Cosby. 

O New York Times noticia que o julgamento decorria já há seis dias (desde segunda-feira), com sessões que chegavam às 12 horas diárias. Neste sábado, os jurados avisaram o juiz Steve T. O’Neill que não conseguiram chegar a um veredicto unânime entre eles. O procurador público do distrito de Montgomery, Kevin Steele, anunciou na hora que deveria apresentar recurso. “O nosso plano é seguir em frente com este caso o mais rapidamente possível”, disse, expressando a sua decepção com a invalidação do julgamento. Caso seja condenado, Bill Cosby pode enfrentar uma pena até dez anos de prisão.