Por que ardeu o prédio em Londres?

Foto
Reuters

Na quarta-feira, perto da uma da manhã, um incêndio deflagrou num prédio de 200 apartamentos no centro de Londres. Mortos confirmados são 17, mas o número vai subir, avisou a polícia — há 18 feridos em estado grave e serão cem os moradores que as autoridades não conseguem contactar. O presidente da câmara de Londres, Sadiq Khan, disse que "há muitas perguntas para fazer" sobre como aconteceu esta tragédia. Eis algumas:

Como começou o fogo?

Segundo a BBC, começou no quarto andar mas não se sabe ainda o que o ateou. Este tipo de edifícios são desenhados de forma a os fogos ficarem confinados ao andar onde começam, o que não aconteceu neste caso.

Porque se propagou tão depressa?

Os bombeiros disseram que demoraram seis minutos a chegar ao edifício, depois de receberem a primeira chamada de emergência. Quando chegaram, a torre já tinha sido engolida pelas chamas. Suspeita-se que devido ao material usado no revestimento do edifício, inflamável. O vento ajudou a propagar as chamas de baixo para cima. O edifício, construído em 1974, não tinha aspersores e os moradores disseram que não ouviram alarmes de incêndios. A comissão de moradores tinha alertado para estes perigos e também para a existência de obstáculos que dificultavam a aproximação de carros de bombeiros, caso houvesse um fogo.

As obras feitas no edifício comprometeram a segurança?

A Torre Grenfell era um bloco de apartamentos de habitação social do Norte de Kensignton. Era gerido pelo Kensington and Chelsea Tenant Management Organisation em nome do bairro de Kensington/Chelsea. As obras custraram 11 milhões de euros e seguiram o projecto da firma Studio E Architects. O objectivo foi aumentar a eficiência energética do edifício e tornar a estrutura de betão do início dos anos de 1970 mais bonita na paisagem. Foi revestido com um compósito de alumínio cujo núcleo é de polietileno (um plástico). O revestimento, colocado pela empresa Harley Facades, custou cerca de três milhões de euros. Trata-se de um revestimento polémico e já houve outros incêndios em edifícios que o usavam - por exemplo em 2015, no Dubai. Alguns especialistas dizem que quando é devidamente colocado resiste ao fogo. Outros advertem que é um material polémico que dá problemas. Quando as placas de alumínio caem, por exemplo devido ao grande aumento de temperatura quando há fogos, o polietileno arde a grande velocidade. Estima-se que em todo o mundo sejam 30 mil os edifícios com este revestimento.

Porque ficaram pessoas presas nos andares?

Quando os bombeiros chegaram já não puderam entrar no edifício — "Subir 20 andares para salvar pessoas naquela situação era impensável", disse o consultor de segurança Bob Parkin. E os equipamentos dos bombeiros de Londres só alcançam até 32 metros, muito abaixo da altura do edifício de 24 andares. A indicação que foi dada por bombeiros a muitos moradores para se manterem dentro dos apartamentos é um procedimento normal, dizem os especialistas em segurança, e deriva de se esperar que o fogo se propague, lentamente, dentro de cada andar. Aqui, porém, o perigo surgiu no exterior do edifício.