Crianças ativas e saudáveis: Que nota tem Portugal numa comparação mundial?

A Aliança “Active Healthy Kids” é uma iniciativa mundial que avalia países de todos os continentes quanto ao seu nível de desenvolvimento face a uma meta essencial: ter crianças fisicamente ativas e saudáveis. Portugal é um de entre 38 países já avaliados.

Foto

Face aos valores preocupantes de obesidade infanto-juvenil e à constatação de que as doenças mais prevalentes no adulto têm causas comportamentais – como a inatividade física e a má alimentação – a capacidade de um país de criar ambientes promotores de hábitos saudáveis desde cedo na vida deve ser avaliada e discutida. A avaliação siste­mática de indicadores-chave destes ambientes é o objetivo da iniciativa mundial “Active Healthy Kids”, focada na atividade física e desportiva em crianças e jovens, pretendendo estimular políticas e orientar estratégias de saúde pública neste domínio.

O projeto considera 9 indicadores de qualidade organizados em 2 categorias: uma relacionada com os comportamentos de saúde, divididos em 5 tipos (ex: transporte ativo), e outras sobre contextos e influências na atividade física e na saúde (ex: a escola), atribuindo uma classificação a cada um. Como a metodologia é harmonizada mundialmente, estes indicadores podem ser comparados entre países. Vejamos como se situa Portugal em cada indicador...

  • Atividade Física e Comportamentos de Saúde

NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA GERAL (Nota D) - Os dados mais recentes (2016) indicam que cerca de 58% das crianças a adolescentes entre os 6 e 14 anos cumprem com a recomendação de praticar 60 minutos por dia de atividade física moderada ou vigorosa. Contudo, em jovens com 15 ou mais anos, o nível de atividade física baixa dramaticamente, sobretudo em raparigas.

PARTICIPAÇÃO DESPORTIVA (Nota B) – Os dados mais recentes indicam que que cerca de 60% das crianças e adolescentes portugueses praticam desporto, ou atividades físicas estruturadas, regularmente. Com a idade, aumenta a diferença entre rapazes e raparigas, com mais atividade física e desportiva em rapazes.

PARTICIPAÇÃO ATIVA NO LAZER (Nota D) - 49% das crianças e dos adolescentes com idades compreendidas entre os 12 e os 18 anos participam regularmente em atividades físicas fora do âmbito escolar; 14% participaram nestas atividades pelo menos uma vez por semana.

TRANSPORTE ATIVO (Nota C) - 45% das crianças e dos adolescentes utilizam meios de transportes ativos nas viagens para a escola. Embora a caminhada tenha sido identificada como o meio de transporte preferido, 30% das crianças com idade compreendidas entre os 7 e os 8 anos alternam regularmente entre a caminhada e a bicicleta durante os dias de escola.

COMPORTAMENTOS SEDENTÁRIOS (Nota D) - 20% das crianças e dos adolescentes com idades compreendidas entre os 10 e os 18 anos veem TV mais de 4 horas por dia durante a semana, e 47% durante o fim-de-semana.

  • Contextos e Influências na Atividade Física e na Saúde

FAMÍLIA E PARES (Nota C) - Mães e pais exercem uma influência similar na prática de atividade física das crianças, indepen­dentemente do seu sexo. Em 2016, apenas 27% dos adultos eram considerados ‘fisicamente ativos’, considerando a sua prática semanal de atividade física moderada ou vigorosa.

ESCOLA (Nota B) - A atividade física é disponibilizada nas escolas através da disciplina curricular de Edu­cação Física. Complementarmente, o Desporto Escolar é de oferta obrigatória em todas as escolas sendo que a participação registada em 2016 variou entre os 8% e os 28% dos estudantes, consoante a tipologia de atividade oferecida.

PÚBLICO -
Aumentar

COMUNIDADE E ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO (Nota D) – Existem poucos dados disponíveis mas, em crianças e adolescentes, a perceção do meio-ambiente está relacionada com a prática de atividade física. Fatores positivos são a presença de equipamentos em casa, características estéticas do bairro (em rapazes) e segurança no percurso casa-escola (em raparigas).

POLÍTICAS PÚBLICAS (Nota C) - Embora as políticas nacionais não tenham ainda criado todas as condições necessárias, existem posições oficiais reconhecendo a atividade física como um importante comportamento para o desenvolvimento saudável dos jovens. Uma Comissão Interministerial foi formada em abril de 2016 para produzir um Plano de Ação para a atividade física em Portugal.

Em geral, em crianças e adolescentes Portugueses, as áreas mais preocupantes são as que se relacionam com o uso do tempo de lazer, traduzido no nível de atividade física geral (reduzido) e no tempo gasto em comportamentos sedentários (elevado). Atividades de intensidade moderada e vigorosa (60 minutos por dia) não são prevalentes em crianças e adolescentes, sobretudo do sexo feminino. Alterações no meio-ambiente familiar no sentido de valorizar a utilização do tempo livre em atividades mais ativas, mas também no meio-ambiente físico (em casa, nas zonas próximo da habitação e nos transportes para a escola) parecem ser áreas de intervenção prioritária para promover crianças mais ativas e saudáveis.

Fontes: Mota J; Coelho e Silva MJ, Raimundo A, Sardinha LB (2016). Results from the Portuguese 2016 Report Card on Physical Activity for Children and Youth. Journal of Physical Activity and Health 13 (Suppl 2):S242; Inquérito Alimentar Nacional e da Atividade Física (IAN-AF), 2017; www.activehealthykids.org

A rubrica Atividade Física é da responsabilidade do Programa Nacional de Promoção de Atividade Física da Direcção-Geral de Saúde 

Os autores escrevem segundo o  Acordo Ortográfico