Costa promete apoio à reconstrução do Museu da Língua Portuguesa

O primeiro-ministro sublinhou, em São Paulo, que a reconstrução do Museu é um projecto que interessa a todos os países da CPLP.

Foto
O Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, foi destruído por um incêndio em finais de 2015 Miguel Schincariol/ARQUIVO

O primeiro-ministro manifestou este domingo total disponibilidade por parte do Estado Português para a reconstrução do Museu da Língua Portuguesa em São Paulo, no Brasil, e destacou o contributo já dado por empresas nacionais como a EDP. António Costa falava a jornalistas brasileiros e à agência Lusa momentos antes da assinatura do acordo técnico entre o Governo de Portugal, a Fundação Roberto Marinho e o Estado de São Paulo para o fornecimento de conteúdos para o Museu da Língua Portuguesa, destruído por um incêndio em 2015.

A cerimónia, que está integrada no programa de comemorações do Dia de Portugal, decorreu no Consulado Geral de Portugal com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Junto a Marcelo Rebelo de Sousa e ao líder do executivo estiveram também membros do executivo português como o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e o secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, que assinou o acordo pela parte nacional.

O primeiro-ministro frisou que a reconstrução do Museu da Língua Portuguesa "é um projecto que interessa a todos os países da Comunidade de Países da Língua Portuguesa (CPLP), desde logo a Portugal".

"Temos empresas que estão a patrocinar a recuperação do museu, desde logo a EDP. O Estado Português, pela sua parte, através do Instituto Camões, vai contribuir com conteúdos", disse.
António Costa deixou ainda outra mensagem: "O Estado Português está totalmente aberto à cooperação que nos for solicitada para o Museu da Língua Portuguesa".

Após a assinatura do acordo, o secretário de Estado das Comunidades referiu-se também "ao total envolvimento do Instituto Camões no projecto de reconstrução do Museu da Língua Portuguesa".

"Vamos ultrapassar uma tristeza muito profunda quando um incêndio destruiu o museu. Reitero aqui o compromisso do Instituto Camões com este projecto, no qual a dimensão digital vai ser fundamental", acrescentou José Luís Carneiro.