Caixa Geral de Depósitos lança consulta pública para substituir Miguel Lobo Antunes na Culturgest

Administrador que tem a tutela da programação e da colecção de arte do banco deveria ter cessado funções em Abril.

Foto
Miguel Lobo Antunes JOÃO HENRIQUES/ARQUIVO

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) anunciou esta sexta-feira, nas páginas de classificados do PÚBLICO, a abertura de uma “consulta pública, com o propósito de recolher eventuais manifestações de interessados para um eventual convite que entenda formular para o exercício de funções como membro do Conselho de Administração e do Conselho Directivo da Fundação, em especial para as funções inerentes às actividades da Fundação relativas à programação e à comunicação e ainda à gestão da colecção de arte da Caixa Geral de Depósitos”. Resumindo: procura-se um substituto para o administrador da Culturgest, Miguel Lobo Antunes, que em Dezembro passado comunicou que iria pedir a reforma, planeando então sair em Março ou Abril deste ano, e que se mantém no entanto em funções: "Estou à espera de ser substituído para poder sair", confirmou esta sexta-feira ao PÚBLICO.

Miguel Lobo Antunes, que completa 70 anos em 2017 e chegou à Culturgest em Abril de 2004, substituindo Fátima Ramos na vice-presidência da fundação, entendeu que está na administração há muito tempo e que “é altura de entrar sangue novo”, como afirmou ao PÚBLICO em Dezembro. "Perante esta decisão, e por uma questão de rigor e transparência, [a CGD] decidiu fazer uma consulta pública" nacional para a escolha do seu sucessor no cargo, explicou ao PÚBLICO fonte oficial da instituição.

Os interessados, estipula o anúncio, deverão apresentar até 17 de Junho "um curriculum vitae detalhado", assim como as “linhas gerais de um programa de actividades da Fundação a ser desenvolvido ao longo de três anos de mandato”. Deverão ainda "estar disponíveis para iniciar funções a curto prazo”.

As candidaturas serão objecto de avaliação por um júri composto por três membros – um deles "indicado pela instituidora Caixa Geral de Depósitos, S.A., que preside, e os outros dois personalidades de reconhecido mérito no meio artístico e cultural, convidados por aquela instituidora" –, precisa o regulamento da consulta, a que o PÚBLICO teve acesso. O relatório do júri, precisa ainda o anúncio, não é vinculativo.

Será a primeira vez na história da fundação que um dos cinco membros do Conselho de Administração é escolhido por consulta pública. Enquanto coordenador geral da programação, Miguel Lobo Antunes gere actualmente um orçamento anual de 1,2 milhões de euros. O administrador assegura ainda pessoalmente a programação da Culturgest nas áreas da música, das conferências e do cinema, tendo como assessores Delfim Sardo (artes plásticas), Francisco Frazão (teatro) e Gil Mendo (dança).

Até à chegada de Miguel Lobo Antunes, a programação da Culturgest era assegurada por um director artístico (à data, António Pinto Ribeiro, que saiu dias depois do anúncio da nomeação do actual administrador), figura que entretanto desapareceu do organograma da fundação.