Torne-se perito

Vacinas: o que já mudou e o que ainda vai mudar

Para assinalar o Dia da Criança, o Ministério da Saúde vai anunciar nesta quinta-feira algumas novidades na área da vacinação. Fique a conhecer as alterações e recorde as mudanças mais recentes.

As grávidas passaram a receber a vacida da tosse convulsa
Foto
As grávidas passaram a receber a vacida da tosse convulsa Adelaide Carneiro

Grávidas
Desde o final do ano passado, as grávidas entre as 20 e as 36 semanas de gestação passaram a receber a vacina contra a tosse convulsa.

Crianças
A BCG, vacina contra a tuberculose, passou a ser dada apenas aos grupos de risco, quando antes era dada a todas as crianças. A medida foi tomada em Junho de 2016, depois de mais de um ano de problemas de abastecimento com origem no laboratório que produz as vacinas.

Adolescentes e adultos
O reforço da vacina contra o tétano e a difteria, em adolescentes e adultos, passou em Janeiro a ser dada com um intervalo maior: aos 10 anos, 25, 45, 65 e depois de dez em dez anos.

Boletim electrónico
Há outras mudanças que estão a ser preparadas. Até ao final deste ano estará em vigor o boletim electrónico de saúde. A informação pode, por exemplo, ser consultada na aplicação do MySNS para telemóvel e permitirá emitir comprovativos sobre se as vacinas estão em dia. Também dará às autoridades de saúde, em tempo real, informação acrca das vacinas administradas.

Distribuição centralizada
A partir de 2018 a compra e distribuição de vacinas passam a ser feitas de forma centralizada com o objectivo de evitar falhas no abastecimento nos vários centros de saúde.

Mais comunicação
Vão passar a ser feitas duas campanhas de comunicação por ano a sensibilizar para a importância da vacinação.

Sugerir correcção