Enquanto não houver casamento gay na Austrália, não há gelados de duas bolas do mesmo sabor

Campanha da Ben & Jerry's tenta mobilizar os australianos para a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

MMM MIGUEL MADEIRA - PÚBLICO
Foto
MMM MIGUEL MADEIRA - PÚBLICO

Imagine que está numa geladaria da cadeia norte-americana Ben & Jerry's e tenciona pedir duas bolas de gelado com o mesmo sabor. Do outro lado do balcão, respondem-lhe que é proibido. Escolha dois sabores diferentes, o que quiser – dois iguais é que não. O cenário hipotético é colocado pela conhecida empresa de gelados e iogurtes para, em primeiro lugar, explicar porque é que entende que é igualmente absurdo impedir o casamento de duas pessoas do mesmo sexo e, em segundo, para protestar contra a proibição deste tipo de união na Austrália, um dos países onde a conhecida marca está presente.

"Ficaria furioso" se lhe impedissem de comer um gelado com duas bolas do mesmo sabor, explica a empresa, "mas nem sequer se compara a como ficaria se lhe dissessem que não se poderia casar com a pessoa que ama". Ora isso, continua a Ben & Jerry’s, é justamente que acontece na Austrália, onde o casamento entre pessoas do mesmo sexo é ainda proibido. 

“O amor chega em todos os sabores e todos devem ter o direito à escolha”, lembra a empresa, que a partir de agora irá limitar a escolha dos seus clientes australianos num acto de protesto. Até o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo ser legal, as geladarias da marca não vão servir gelados de duas bolas do mesmo sabor. O objectivo da inciativa da empresa é sensibilizar os clientes australianos para o direito à igualdade dos membros da comunidade LBGT. 

Não é claro até quando durará a campanha, mas a empresa apela aos clientes que enviem uma mensagem aos deputados que os representam no Parlamento australiano até 13 de Junho, dia em que o tema poderá ser levado a discussão. Para quem não puder ou quiser ir a uma das lojas onde decorre a recolha de mensagens, a empresa disponibilizou uma plataforma online para a recolha de assinaturas. 

Actualmente, a Austrália não reconhece a união entre pessoas do mesmo sexo, mesmo que o casal tenha casado legalmente noutro país. No entanto, e de acordo com uma sondagem realizada em 2014, cerca de 72% dos australianos afirmava ser favorável ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. 

A legalização do casamento gay é discutida há vários anos na Austrália, com alguns sectores a defenderem a realização de um referendo. A Ben & Jerry's posiciona-se contra a consulta, considerando que teria custos elevados para os cofres públicos e que a campanha correria o risco de ser marcada por mensagens homofóbias. Em vez de um referendo, a empresa defende que a legalização seja votada no Parlamento, com cada deputado a gozar de liberdade de voto.

A actual campanha da Ben & Jerry's na Austrália não é inédita e insere-se numa longa tradição de activismo social da empresa fundada no estado norte-americano do Vermont. Em 2016, por exemplo, os dois fundadores da companhia, Ben Cohen e Jerry Greenfield, estiveram entre as cerca de 300 pessoas detidas no Capitólio, em Washington, durante o protesto Democracy Awakening. Cohen e Greenfield (os famosos Ben e Jerry) integravam um coro de vozes, sem ligações partidárias, que pedia mais acção nas alterações climáticas, justiça racial, direitos dos trabalhadores e justiça salarial e a segurança alimentar, planos de saúde, paz, reformas na imigração e melhorias no sistema de educação.

No ano anterior, em 2015, a marca lançou também a campanha de sensibilização para as alterações climáticas através de um novo sabor de gelado onde pequenos cones de feitos de gelado parecem estar a derreter. E “se estiver a derreter, está arruinado”, sublinhava, à data, a Ben & Jerry’s. Internamente, a empresa tem como objectivo que, até 2020, que toda a produção recorra a energias renováveis.