Confiança dos consumidores no valor mais alto de quase 20 anos

Confiança está a aumentar desde o início de 2013. Indicador de clima económico também aumentou entre Janeiro e Maio.

Os consumidores têm-se mostrado mais confiantes
Foto
Os consumidores têm-se mostrado mais confiantes DR

A confiança dos consumidores portugueses continua a aumentar e atingiu em Maio o valor mais alto de quase 20 anos, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

"O indicador de confiança dos consumidores aumentou em Maio, prolongando a trajectória positiva observada desde o início de 2013 e atingindo o valor máximo da série iniciada em Novembro de 1997", sublinha o INE.

Segundo o Instituto, a esta evolução da confiança no último mês resultou "do contributo positivo de todas as componentes", mas de "forma mais expressiva nos casos das expectativas relativas à evolução do desemprego e da situação económica do país". Os dados do INE permitem, aliás, verificar que, no que diz respeito às opiniões sobre a evolução da situação da economia portuguesa e às expectativas sobre essa situação, a confiança já vinha a aumentar, mas bateu no máximo desde Novembro de 1997.

Nas restantes componentes que constituem o indicador de confiança — situação financeira do agregado familiar, poupança, realização de compras importantes, desemprego e preços — houve evoluções positivas.

A opinião dos inquiridos sobre "a evolução da situação financeira do agregado familiar aumentou em Maio pelo sexto mês consecutivo", revela o INE, adiantando que este é um movimento iniciado "em Junho de 2013". Também quanto às perspectivas sobre a situação financeira, os dados mostram que há um aumento "nos últimos nove meses, alongando o movimento ascendente observado desde o início de 2013".

Já no que diz respeito à opinião sobre a evolução da poupança no momento actual e as expectativas sobre a evolução da poupança, em ambos os casos houve uma recuperação em Maio, "prolongando os movimentos ascendentes iniciados em Setembro e Julho, respectivamente".

Quando os consumidores são confrontados com a possibilidade de realizarem compras importantes, as respostas obtidas pelo INE mostram que houve um aumento nos últimos dois meses "dando continuidade ao movimento ascendente verificado desde o início de 2016". O Instituto adianta ainda que "o saldo das expectativas de realização de compras importantes aumentou em Maio, após ter diminuído no mês anterior".

A expectativa dos consumidores em relação à evolução do desemprego é outro dos indicadores que dá sinais de maior confiança. "O saldo das perspectivas relativas à evolução do desemprego diminuiu em Maio, pelo nono mês consecutivo, prolongando a trajectória descendente iniciada em Janeiro de 2013 e renovando o valor mínimo da série iniciada em Novembro de 1997", salienta o Instituto. Por último, a perspectiva sobre a evolução dos preços também mostra os consumidores mais confiantes.

Os dados divulgados nesta terça-feira pelo INE dão ainda conta de que o indicador de clima económico aumentou entre Janeiro e Maio, após ter diminuído nos três meses precedentes. Segundo o INE, em Maio, "os indicadores de confiança aumentaram na Construção e Obras Públicas e nos Serviços, tendo estabilizado na Indústria Transformadora e diminuído ligeiramente no Comércio".