Torne-se perito

Catalunha: Referendo à independência pode ser convocado dentro de 15 dias

Governo da Catalunha promete que a data do referendo, e respectiva pergunta, serão conhecidas dentro de 15 dias. Mariano Rajoy reitera que seu governo não permitirá o referendo.

Foto
Rajoy já disse que Madrid não permitirá a realização de um referendo "inconstitucional". LUSA/STEPHANIE LECOCQ

A data do referendo à independência da Catalunha e a pergunta a ser feita na consulta serão conhecidas dentro de 15 dias. Foi a conselheira da presidência e porta-voz do Governo autonómico catalão, Neus Munté, quem o afirmou, este domingo, em entrevista à rádio Rac1. Durante a mesma emissão, Munté também assegurou que o presidente do executivo regional, Carles Puigdemont, convocará na segunda-feira todos os partidos favoráveis ao referendo para analisar a situação política após a recusa já anunciada por Madrid em relação ao reconhecimento da consulta.

Para além do Partido Democrata Europeu Catalão (PDeCAT), Esquerda Republicana da Catalunha (ERC) e da Candidatura de Unidade Popular (CUP), entre os partidos convocados para a reunião com Puigdemont estão o movimento Barcelona em Comum, formação que apoia a autarca de Barcelona, Ada Colau, assim como formações que integram parte do grupo parlamentar da Catalunha como a Iniciativa pela Catalunha ou a Esquerda Unida e Alternativa.

Xavier Domènech, o porta-voz do Barcelona em Comum no Congresso, respondeu de imediato à conselheira Munté e assegurou que a sua formação não estará na reunião que Carles Puigdemont convocará. Na sua opinião, qualquer decisão deve ser tratada no âmbito do Pacto Nacional para o referendo, uma iniciativa da sociedade civil para aglutinar os partidos e as entidades favoráveis à consulta, que já recolheu meio milhão de assinaturas de apoio.

O principal objectivo do encontro, como referido, é análise dos últimos desenvolvimentos políticos, nomeadamente as declarações deste sábado do primeiro-ministro de Espanha, Mariano Rajoy, que reiterou a promessa de que o Governo nacional não permitirá a realização do referendo, caracterizando-o como inconstitucional.

“Não vou autorizar um referendo sobre a independência porque eu não quero e porque não posso fazê-lo”, disse.

Rajoy, alertou ainda os líderes empresariais da Catalunha para as “terríveis consequências económicas” da independência do território.

Sugerir correcção