Melhor jogador do mundo derrotado pelo “deus do jogo de Go”

Inteligência artificial desenvolvida por empresa do grupo do Google já venceu dois dos três jogos da partida contra o chinês Ke Jie.

Mais um jogo em que as máquinas levam a melhor
Fotogaleria
Mais um jogo em que as máquinas levam a melhor Reuters/CHINA STRINGER NETWORK
O software é desenvolvido pela DeepMind, do mesmo grupo do Google
Fotogaleria
O software é desenvolvido pela DeepMind, do mesmo grupo do Google Reuters/CHINA STRINGER NETWORK

O programa de computador criado pela DeepMind, uma empresa do mesmo grupo do Google, para jogar o complexo jogo chinês Go venceu pela segunda vez o melhor jogador do mundo, decidindo assim a partida ainda antes do terceiro, e último, jogo, que está agendado para este sábado. Uma característica bem humana pode ter ajudado ao desfecho: a emoção.

O adversário da máquina – o chinês Ke Jie, de 19 anos – contou no final do jogo que a determinada altura julgou estar em vantagem, o que o levou a ficar nervoso. “Eu estava muito entusiasmado. Conseguia sentir o meu coração a bater. Talvez por estar demasiado entusiasmado, fiz algumas jogadas estúpidas”, afirmou, citado pelo New York Times.

Não terão sido, porém, apenas os nervos de Ke a levar a melhor. No primeiro jogo, o computador já tinha ganho com um desempenho que levou o jogador chinês a afirmar que, depois da partida, iria concentrar-se apenas em adversários humanos. Após o segundo jogo, a opinião manteve-se. “Depois desta vez, para mim, o AlphaGo é 100% perfeito, para mim é o deus do jogo de Go.”

 A vitória é, em parte, simbólica, numa altura em que a inteligência artificial promete transformar inúmeras áreas de actividade humana, desde a gestão pessoal do quotidiano (com agendas inteligentes a assistentes pessoais no telemóvel) à indústria automóvel (os carros autónomos já estão nas estradas), passando pelo trabalho fabril (com robôs cada vez mais inteligentes) e pela medicina (a IBM tem um supercomputador a fazer diagnósticos que os médicos não conseguem). Mas a tecnologia usada para ensinar o computador a jogar Go pode também ser aplicada a outros fins.