Três apontamentos de uma temporada

O Feiticeiro de Oz, Jordi Savall e tantos pianos.

Fotogaleria
O Feiticeiro de Oz dr
Fotogaleria
Jordi Savall EVR ENRIC VIVES-RUBIO
Fotogaleria
Menahem Pressler dr

Cinema com música

No ano passado, a temporada da Gulbenkian reservou espaço para filmes com música ao vivo. Quando entrou na sala para acompanhar o primeiro episódio da saga O Senhor dos Anéis, Risto Nieminen estava “hesitante”. Depois, sentiu a “concentração do público e a partilha de uma experiência especial”. Valia a pena repeti-la. Esta temporada, veremos O Feiticeiro de Oz, O Regresso do Rei e um filme da NASA com imagens do universo ao som de Gustave Holst, Richard Strauss e John Adams.

Guerra ou Paz

Jordi Savall, o reconhecido compositor, maestro, gambista, acredita que a música é um veículo para a paz. A sua apresentação na temporada só poderia, portanto, ser incluída no ciclo Guerra ou Paz. Dia 20 de Maio, apresenta O Milénio de Granada, através do qual conta a história da última cidade sob domínio muçulmano na Península Ibérica. O programa inaugura, dias 11 e 12 de Maio, com a 7.ª Sinfonia de Chostakovich, integrada num concerto dirigido por Hannu Lintu.

Pianos às dezenas

Em Janeiro, o piano será rei na Gulbenkian. Entre os dias 12 e 26 decorrerá o festival Pianomania!, que nos mostrará toda uma diversidade de música guiada pelas teclas do instrumento — além de filmes, conferências e conversas com os músicos. As honras de abertura, dias 12 e 13 de Janeiro, caberão ao veterano Menahem Pressler, de 93 anos, acompanhado pela Orquestra Gulbenkian no 23.º Concerto de Mozart. Nos dias seguintes, actuarão Pedro Burmester com Mário Laginha (14 de Janeiro), Daniil Trifonov (19 e 20 de Janeiro), Beatrice Rana (23 de Janeiro) ou Yuja Wang (25 e 26 de Janeiro). Durante o ciclo, haverá ainda espaço para um dia inteiro dedicado a Erik Satie.