#RoomForManchester: as redes sociais voltaram a responder a um ataque com ajuda

Após a explosão no final do concerto de Ariana Grande, a confusão instalou-se e resultou em dezenas de desaparecidos. Vários hotéis acolheram crianças e jovens durante a noite. Os taxistas ofereceram boleia.

Fotogaleria
Reuters/ANDREW YATES
Fotogaleria
Reuters/ANDREW YATES
Fotogaleria
Reuters/ANDREW YATES
Fotogaleria
Reuters/ANDREW YATES
Fotogaleria
Reuters/REUTERS TV

Os utilizadores das redes sociais estão a partilhar imagens de crianças e jovens alegadamente desaparecidos depois do ataque desta segunda-feira no final do concerto de Ariana Grande, no exterior da Manchester Arena, que provocou 22 mortos e 59 feridos. Com um público maioritariamente juvenil, entre os fãs do espectáculo de Ariana Grande contavam-se muitos menores.

O apelo desesperado de vários familiares multiplica-se tanto no Facebook como no Twitter. Charlotte Campbell, uma das mães à procura da filha, de 15 anos, contou esta manhã no Good Morning Britain que já ligou para a polícia, hospitais e hotéis, mas não obteve informações acerca da localização da jovem adolescente.

My daughter Courtney Boyle and partner Philip Tron have gone missing tonight in a attack at Manchester tonight please share and help find them I need them home safe xX

Posted by Deborah Hutchinson on Monday, 22 May 2017

Algumas das contas foram entretanto actualizando a informação. Duas das jovens desaparecidas foram entretanto encontradas e estão, de acordo com a conta do Twitter que relatou o seu desaparecimento, a ser assistidas no hospital.

De acordo com vários relatos, a gerência de hotéis e vários populares nas proximidades disponibilizaram-se a acolher as vítimas do ataque. 

Através da hashtag #RoomForManchester foi – e continua a ser – disponibilizado abrigo para quem precisar.

No hotal Holiday Inn, por exemplo, estariam mais de 50 crianças, de acordo com informações citadas pela televisão britânica. No entanto, já a meio da tarde, as autoridades britânicas negaram que existam crianças sem identificação acolhidas pelos hotéis da cidade.

Nas redes sociais, a onda de solidariedade com os fãs que assistam ao concerto, muitos dos quais menores ou de jovem idade, continua a propagar-se durante esta manhã.

Também os motoristas de táxi se juntaram à onda de ajuda e se disponibilizaram a transportar as vítimas de forma gratuita.

Ao final da manhã desta terça-feira, uma nova informação: de acordo com um jornalista da BBC, o Holiday Inn Express nega que tenha dezenas de crianças alojadas no seu hotel, como relatam as redes sociais.