Autor do atentado em Manchester era "muito reservado"

Salman Abedi, de 22 anos, terá nascido em Manchester em 1994, filho de pais líbios fugidos ao regime de Muammar Kadhafi que se refugiaram no Reino Unido.

Reuters/STEFAN WERMUTH
Foto
Reuters/STEFAN WERMUTH

O bombista suicida que matou 22 pessoas na segunda-feira à noite numa sala de concertos de Manchester, no noroeste de Inglaterra, foi identificado como sendo um britânico de origem líbia discreto e reservado, segundo a imprensa britânica.

"Era um jovem muito discreto, sempre muito respeitoso para comigo", testemunhou um cidadão líbio de Manchester citado pelo jornal The Guardian. "O seu irmão Ismael era muito sociável, mas Salman [Abedi] era muito reservado", acrescentou.

A polícia afirmou que o autor do atentado foi Salman Abedi, de 22 anos, morto na explosão que ele mesmo provocou na segunda-feira à noite, no final de um espectáculo da cantora norte-americana Ariana Grande, numa das saídas do Manchester Arena, num espaço coberto que ligava a sala à estação Victoria, muito próxima.

"Posso confirmar que o homem suspeito de ter cometido a atrocidade da noite passada foi identificado com o nome de Salman Abedi", disse esta terça-feira o comissário de polícia Ian Hopkins, sem mais pormenores.

De acordo com a imprensa britânica, Salman Abedi terá nascido em Manchester em 1994, filho de pais líbios fugidos ao regime de Muammar Kadhafi que se refugiaram no Reino Unido, primeiro em Londres e depois no bairro residencial periférico de Fallowfield, no sul de Manchester, nos últimos dez anos.

Nesse bairro, formado por casas modestas de tijolo vermelho, o fim de uma rua foi bloqueado pela polícia ao fim da tarde desta terça-feira. Havia polícias parados à porta de uma pequena casa de tijolo, outros andavam no jardim, levando a pensar que se trata de um local onde Abedi residiu, constatou o jornalista da agência francesa AFP no local.

Na vizinhança, poucos conhecem o suspeito: "Nem tenho a certeza de saber como era o seu rosto, para dizer a verdade. No entanto, devia cruzar-me com ele todos os dias", comentou Rachel Harding, de 37 anos, que mora numa casa vizinha e se disse "chocada, surpreendida, amedrontada".

O bairro, "que não é, claramente, um dos mais ricos de Manchester, é muito tranquilo", garantiu, como outros vizinhos inquiridos pela AFP.

O Daily Telegraph escreveu que Salman era o terceiro de uma família de quatro filhos.

O Daesh reivindicou o atentado que fez 22 mortos, entre os quais uma menina de oito anos e outras crianças, bem como 59 feridos.

"A nossa prioridade continua a ser descobrir se ele agiu sozinho ou no âmbito de uma rede", recordou o comissário Hopkins. Os investigadores fizeram buscas também na casa do irmão do suspeito, igualmente no sul de Manchester.

Os dois irmãos frequentavam a mesquita local de Didsbury, noticiou ainda o Guardian. O pai do suspeito é bastante conhecido na comunidade líbia de Manchester, mas encontra-se actualmente em Tripoli, acrescentou o diário.

Um homem de 23 anos foi detido algumas horas antes em Chorlton, no sul de Manchester, por ligação ao atentado, embora a polícia não tenha querido precisar a natureza dessa ligação. Salman Abedi estudava na universidade de Salford, em Manchester, disse à agência Press Association um responsável do estabelecimento de ensino superior, Sam Grogan.