Comunidade surda da Área Metropolitana do Porto pode contactar municípios por video-chamada

O projecto-piloto decorre até Dezembro de 2018 e vai abranger cerca de 20 mil surdos profundos.

PAULO PIMENTA / PUBLICO
Foto
PAULO PIMENTA / PUBLICO

A Área Metropolitana do Porto lançou um serviço que permite à comunidade surda residente nos 17 municípios contactar diretamente com os serviços públicos através de video-chamada com interpretação em língua gestual portuguesa.

Com um investimento de 18 mil euros, o serviço vai abranger cerca de 20 mil surdos profundos que vivem na região e utilizam a língua gestual portuguesa. Segundo a AMP, trata-se de um projecto-piloto que decorre até Dezembro de 2018.

Durante a apresentação pública do projecto “Acessibilidade em língua gestual portuguesa na AMP”, o primeiro-secretário executivo, Lino Ferreira afirmou que a iniciativa vem responder a “uma preocupação das autarquias locais de criar condições de equidade e de proximidade com os munícipes”. Foi também destacado o facto de que com este serviço “todos os cidadãos surdos usufruem plenamente dos seus direitos de igualdade, acessibilidade e autonomia de que qualquer pessoa ouvinte já beneficia”.

Já Ana Sofia Antunes, Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, considera que “as limitações da comunidade surda estão na sua maioria relacionadas com a comunicação, o que condiciona a sua cidadania”.

A comunicação é gratuita se for feita através do Portal do Cidadão Surdo. Caso seja utilizado o número 12472 para fazer a vídeo-chamada, o custo será de um cêntimo por minuto. "A comunidade surda terá também acesso a informação específica de cada um dos municípios, através da disponibilização de conteúdos e vídeos em Língua Gestual Portuguesa, na página desenvolvida para cada uma das entidades, no âmbito do Portal do Cidadão Surdo", lê-se no comunicado enviado pela AMP. 

Texto editado por Ana Fernandes