Sonae entra na área da saúde dentária e prevê 75 clínicas em oito anos

Rede de unidades de saúde dentária e de medicina estética Dr.Wells abriu hoje a sua primeira clínica, em Lisboa. Seguem-se Porto e Vila Nova de Gaia

Primeira clínica Dr. Well's abriu esta sexta-feira em Lisboa. Estão previstas mais 74  unidades de saúde dentária e estética
Foto
Primeira clínica Dr. Well's abriu esta sexta-feira em Lisboa. Estão previstas mais 74 unidades de saúde dentária e estética

O grupo Sonae abriu hoje a primeira unidades de serviços de saúde em clínicas especializadas em medicina dentária e estética. A “holding” arrancou com a primeira clinica Dr. Well’s junto do hipermercado Continente, no Centro Comercial Colombo, em Lisboa, a aberta hoje ao público.

O grupo Sonae (dono do Público) tem contudo a meta de “chegar às 75 clínicas” nos próximos oito anos, explicou Inês Valadas, administrador da Sonae MC – área de retalho alimentar do grupo Sonae que também gere as redes Note (papelaria e tabacaria), Zu (produtos para animais) e Well’s (parafarmácias e estética, e óptica).

Está prevista, adiantou a gestora na apresentação pública realizada esta sexta-feira, 19 de Maio, em Lisboa, a inauguração de cinco clínicas no primeiro ano, 2017. A contar do próximo ano, e repetidamente nos sete seguintes, serão abertas 10 novas unidades Dr. Wells (por ano) no mercado nacional.

Na apresentação feita esta sexta-feira, os responsáveis da cotada recusaram-se a revelar valores do investimento realizado e planeado e das vendas previstas para a nova área de negócio.

Em conferência de imprensa, Inês Valadas explicou que a primeira unidade em Lisboa terá a colaboração de 25 pessoas – 15 médicos e os restantes 10 trabalhadores divididos entre enfermeiros, assistentes dentários e assistentes de clientes.

O próximo passo na expansão tem como destino Gaia e Matosinhos, adiantou. O grupo quer estar prioritariamente nas zonas da Grande Lisboa e Porto, até porque as equipas médicas serão repartidas por várias clínicas sempre que houver massa crítica.

Fora da expansão orgânica, “a aquisição de clínicas, obviamente, é um cenário que colocamos em cima da mesa”, avançou administradora da Sonae MC. O que levará, em certos casos, as novas clínicas para as ruas – “não temos que estar sempre à frente de um Continente”, explicou a gestora. “Estamos à procura de localizações”, afirmou.

O que está descartado é ceder o licenciamento da marca a terceiros no país. “Não estamos a pensar em franchising”, sublinhou.  

Próxima especialidade: oftalmologia

Descrevendo a área de serviços em que a Sonae agora entra como de “saúde melhorativa”- “não estamos no campo dos hospitais e das clínicas curativas” – Inês Valadas salientou que as clinicas terão convenções com a maioria das seguradoras a operar em Portugal, acesso a soluções de financiamento e com o qualificou de “preços acessíveis”. “Mas”, frisou, “esta não é uma clínica discount”.  

O foco, para já, é primordialmente medicina dentária – mercado que a Sonae avalia em 600 milhões de euros em Portugal e que vê como muito fragmentado e sem grandes grupos dominantes (há 4.000 clinicas no país).  Sendo o foco, as clinicas serão sempre dentárias e sempre que possível também com medicina estética.

Questionada sobre a possibilidade de adição de novas especialidades, Inês Valadas admitiu que o grupo está a analisar as várias possibilidades, sendo a mais forte a oftalmologia.

A entrada nesta área é vista pela administradora da Sonae MC como “um passo natural” porque, como recordou na manhã desta sexta-feira, a Well’s é já marca de uma rede de ópticas (assim como de parafarmácias, que é a Well’s de origem). Há portanto um conjunto de meios humanos e técnicos que o grupo gere já na optometria que poderá ser complementado, e complementar, a oftalmologia.

Finalmente, acrescentou, a Sonae está ainda a analisar a área das “doenças crónicas” para eventualmente estender a oferta na área de saúde.