Temer recusa demitir-se, diz nada ter a esconder

"Não comprei o silêncio de ninguém", garante Temer, referindo-se a Eduardo Cunha.

Reuters/Ueslei Marcelino
Foto
Reuters/Ueslei Marcelino

O Presidente brasileiro, Michel Temer, recusou esta quinta-feira apresentar a demissão, dizendo nada ter a esconder. Temer falava na sequência da abertura de um inquérito pelo Supremo Tribunal Federal referente a uma suspeita de que o Presidente terá tentado subornar o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

"Em nenhum momento autorizei que pagassem a quem quer que seja para ficar calado. Não comprei o silêncio de ninguém", garantiu Michel Temer.

O Supremo Tribunal Federal revelou estar a investigar formalmente o Presidente brasileiro, depois de os donos da JBS, uma das maiores empresas do país, terem revelado uma gravação em que Temer aparece a autorizar o pagamento de um suborno que seria entregue a Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, actualmente detido, com o objectivo de o impedir de colaborar com os investigadores.

Durante todo o dia permanecia a dúvida sobre se o Presidente brasileiro iria apresentar a renúncia ao cargo. Vários ministros manifestaram a intenção de se demitirem caso se comprove a veracidade das denúncias contra Temer.

"Não tenho nada a esconder", afirmou Temer ao início da noite, durante uma curta comunicação ao país.