Google quer inteligência artificial em todos produtos

Os utilizadores do Gmail vão passar a beneficiar de um sistema que lê as mensagens e sugere respostas.

Para Pichai, o mundo está cada vez mais focado no desenvolvimento de inteligência artificial
Foto
Para Pichai, o mundo está cada vez mais focado no desenvolvimento de inteligência artificial Reuters/STEPHEN LAM

O director executivo do Google subiu ao palco da conferência anual para programadores da empresa, em Mountain View, nos EUA, para falar de como a inteligência artificial está a moldar o futuro dos produtos Google.

“Estamos a repensar todos os nossos produtos para incorporar inteligência artificial”, disse Sundar Pichai, na abertura da conferência. “Desenvolvemos uma abordagem chamada Auto ML [machine learning], mostrando que é possível que redes neurais possam criar redes neurais.”

Por exemplo, os utilizadores do Gmail vão passar a beneficiar de um sistema de inteligência artificial – chamado Smart Reply – que lê as mensagens e sugere respostas simples. Ao nível das fotografias, o Google Lens permite identificar e aceder a informação sobre um local ou objecto a partir de uma imagem da câmara do telemóvel. 

Pichai dá um exemplo: “Se estiver debaixo da secretária de um amigo para ver a palavra passe longa e complicada do wi-fi, que se encontra na parte de trás do router, o seu telefone consegue agora reconhecer a palavra passe, perceber que o utilizador está a tentar conectar-se à rede e ligar-se automaticamente”.

O Google Photos passa também a incluir um sistema de reconhecimento facial capaz de identificar as pessoas que estão numa fotografia e enviar-lhes automaticamente uma cópia. Dependendo das configurações, há a hipótese de rever as fotografias antes de serem enviadas.

O maior foco, porém, foi no Google Assistant – o assistente virtual pessoal do Google – que passa a estar disponível como uma aplicação móvel para instalar em telemóveis ou tablets com sistemas operativos iOS ou Android. Ou seja, a Siri já não tem o exclusivo dos assistentes pessoais virtuais no que toca aos iPhones. Também já funciona em português do Brasil, francês, alemão e japonês.

A conferência dura até sexta-feira, dia 20 de Maio. Para Sundar Pichai: “A computação está a evoluir novamente, de um mundo focado em mobilidade para um mundo focado em inteligência artificial”.