GNR volta a ter meios navais activos nos Açores

Nova embarcação vai patrulhar a costa açoriana e permitir a vigilância durante actividades turísticas e piscatórias.

Foto
Nelson Garrido/Arquivo

A Guarda Nacional Republicana (GNR) voltou a ter esta sexta-feira meios navais nos Açores, na Horta, ilha do Faial, da primeira embarcação para patrulhamento da costa, que vem substituir uma que estava desactivada.

A "Laura", construída em fibra de vidro, tem sete metros de comprimento, um motor com 175 cavalos e foi apreendida pela GNR no Algarve, pela prática de actividades ilícitas, tendo sido reabilitada para acções de patrulhamento, que vão incidir, sobretudo, nas ilhas do Faial, Pico e São Jorge. "Era um desejo que já acalentávamos há muito tempo, que felizmente agora se concretizou, de termos a primeira embarcação nos Açores", afirmou aos jornalistas o comandante territorial da GNR nos Açores, Armando Soares da Costa.

De acordo com o comandante, a embarcação veio permitir "uma nova mobilidade, em termos operacionais" no arquipélago, uma vez que o único meio naval que a GNR dispunha era um pequeno semi-rígido, que não tinha grande capacidade, nem autonomia. A intenção da GNR é utilizar a nova embarcação para vigilância da costa e do mar territorial, para fiscalização das actividades marítimo-turísticas e da pesca e "de outras que eventualmente venham a ser referenciadas".

O barco vai ser operado por sete militares e por duas equipas cinotécnicas (compostas por um homem e um cão), que acabam por "fazer a diferença" em relação a outras forças militares que já fiscalizam as águas dos Açores, como é o caso da Marinha ou da Polícia Marítima.

"Não há sobreposição de actividades! Aliás, foi uma das minhas principais preocupações, encontrarmos um nicho de actividade operacional, onde houvesse uma situação de complementaridade, de colaboração, e não de concorrência, que não serviria a ninguém", insistiu Soares da Costa.

Segundo explicou o comandante territorial da GNR nos Açores, a intenção é que os actuais meios navais venham a ser reforçados com uma outra embarcação para patrulhamento da costa na ilha de São Miguel.