Perguntas e Respostas

O que vai mudar no futebol português com o videoárbitro?

A partir da próxima época, todos os jogos da I Liga terão um instrumento extra para melhorar a performance dos árbitros.

Os árbitros portugueses terão o auxílio do videoárbitro na próxima época
Foto
Os árbitros portugueses terão o auxílio do videoárbitro na próxima época Reuters/Darren Staples

Que jogos terão videoárbitro?

O videoárbitro (VAR) começa a ser utilizado já na final da Taça de Portugal de 28 de Maio, no Jamor, entre Benfica e Vitória de Guimarães. Depois, será utilizado em todos os jogos da Liga NOS na próxima época, num total de 306, que, tal como na presente época, terão todos transmissão televisiva. O sistema também deverá ser utilizado em alguns jogos da Taça de Portugal e, não estando ainda definidos quais, é provável que, pelo menos seja utilizado nos jogos dos quartos-de-final, meias-finais e final. A Supertaça também terá VAR e não está, para já, previsto que seja utilizado nos jogos da Taça da Liga.

Quem pode ser videoárbitro?

Podem desempenhar as funções de VAR todos os árbitros de primeira categoria e os antigos árbitros de primeira categoria que tenham abandonado recentemente a arbitragem. Tal como as equipas de arbitragem, os VAR serão nomeados pelo Conselho de Arbitragem, não estando ainda decidido se estas nomeações também serão públicas. O “standard” para cada jogo será um operador e um VAR, mas poderá haver jogos (como irá acontecer na Taça de Portugal) que terão dois. Um VAR pode ainda fazer mais do que um jogo por jornada. O sistema terá um mínimo de quatro monitores, dois para o operador e dois para o VAR.

Onde vai ser o centro de controlo do VAR?

A intenção é que tudo seja centralizado na Cidade do Futebol, a sede da FPF, mas, nos primeiros tempos haverá unidades móveis nos diferentes estádios. Entre a ocorrência do lance e chegada das imagens aos ecrãs, estima-se um tempo de 1,7 segundos.

Quem é o parceiro tecnológico da FPF?

A empresa chama-se Hawk-eye, tem origem britânica e foi adquirida pela Sony em 2011. Segundo informações do website, a empresa começou por trabalhar apenas com o críquete, mas expandiu-se para mais de 20 desportos, incluindo futebol, basquetebol, atletismo e automobilismo. Anualmente, acrescenta a Hawk-eye, monitoriza cerca de 7200 eventos desportivos em mais de 450 recintos espalhados por 65 países.

Quanto vai custar o sistema?

A FPF estima que a utilização do VAR em 2017-18 seja de 1 milhão de euros, um valor que será integralmente suportado pela entidade federativa.

Que situações serão analisadas pelo vídeoárbitro?

Há quatro situações que podem ser decididas por intervenção do VAR: golos, penáltis, situações de exibição de cartões vermelhos directos e para desfazer equívocos sobre os jogadores envolvidos em situações disciplinares, e, nas situações de fora-de-jogo, só se a situação estiver relacionada com uma situação de golo ou penálti.

Quem pode pedir a revisão dos lances?

Ao contrário de acontece em outros desportos, os treinadores ou jogadores não podem pedir a reavaliação de um lance. Será sempre da responsabilidade dos árbitros, seja de campo ou o VAR. Cada campo terá um ecrã junto ao relvado para que o árbitro que dirige o jogo possa, ele próprio, ver as repetições do lance em causa, ou pode, simplesmente, aceitar o julgamento do VAR. A decisão final será do árbitro de campo.

O VAR vai prolongar a duração dos jogos?

Não necessariamente. Havia uma preocupação de que o recurso ao videoárbitro tivesse este efeito nos jogos, mas David Elleray, director-técnico do International Board, desmentiu recentemente essa possibilidade durante uma conferência que deu no Football Talks. “Em dez jogos nos EUA em que testámos o sistema, apenas usámos o vídeoárbitro três . Não vão ser 30 repetições por jogo”, disse o antigo árbitro, dando exemplos em que decisões tomadas com VAR levaram 40 segundos ao contrário de outras situações sem VAR que obrigam a paragens de vários minutos.

A Liga NOS vai ser o primeiro campeonato com VAR?

Será o primeiro a utilizar numa época completa, a par da Bundesliga (que também terá VAR em 2017-18), mas a Liga australiana já teve jogos com a assistência de VAR nas duas últimas duas jornadas da época regular e nos play-off de apuramento do campeão. Nos EUA, alguns também já tiveram VAR, tal como a Holanda, mas a Eredivisie só terá o sistema em 2018-19 (para já continua só com jogos da Taça).

Vai ser utilizado em competições internacionais?

Sim. Já várias competições de selecções em escalões etários mais baixos tiveram VAR e já foi utilizado no Mundial de Clubes em 2016. Vai ser utilizado na próxima Taça das Confederações e no Mundial do próximo ano.