Frederico Lourenço vai participar na FLIP 2017

O escritor e helenista vai estar no final de Julho na 15.ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty, no Brasil, onde sairá em breve o primeiro volume da sua tradução da Bíblia.

Foto
Frederico Lourenço é um dos convidados da FLIP 2017 Nuno Ferreira Santos

Frederico Lourenço, o mais recente Prémio Pessoa, é um dos convidados da 15.ª edição da FLIP, a Festa Literária Internacional de Paraty, no Brasil, que decorrerá entre 26 e 30 de Julho e que será dedicada, este ano, à obra do escritor e jornalista carioca Lima Barreto (1881-1922). 

Actualmente a braços com a colossal tarefa de traduzir a solo, a partir do grego antigo, a chamada Bíblia Grega, ou dos Setenta, em curso de publicação na Quetzal, Frederico Lourenço, a quem se devem também notáveis traduções da Odisseia e da Ilíada, vai a Paraty “debater as possibilidades da tradução entre línguas separadas por séculos, e os dilemas da condição humana que atravessam a cultura ocidental desde a Grécia Clássica até os dias de hoje”, adianta a organização da FLIP que nesta edição tem pela primeira vez como curadora Joselia Aguiar, jornalista brasileira que desde 2011 está a trabalhar na biografia do escritor Jorge Amado (1912-2001). 

Quando o helenista (que é também, para inventariar apenas algumas das suas actividades, ficcionista, poeta, cronista, ensaísta e musicólogo) chegar a Paraty, a Companhia das Letras já terá lançado no Brasil o primeiro dos seis volumes da sua tradução da Bíblia, estando ainda prevista a publicação, na Oficina Raquel, do seu volume de ensaios bíblicos Livro Aberto: Leituras da Bíblia, editado em Portugal pela Cotovia.

A presença de Lourenço naquela que é o mais importante festival literário brasileiro  “será um daqueles momentos imperdíveis”, prenuncia a FLIP, “em que vamos fazer uma espécie de balanço da tradição ocidental a partir da literatura.”

Criada em 2003, a Festa Literária Internacional de Paraty decorre nas margens do rio Perequê-Açu, numa tenda expressamente montada para acolher a festa, e cada uma das suas edições homenageia um autor brasileiro. Com um programa organizado em torno de eixos temáticos, e que extravasa da literatura para abarcar o cinema, as artes cénicas ou a performance, a FLIP tem levado a Paraty, ao longo dos anos, autores internacionais como Salman Rushdie, Don DeLillo ou Toni Morrison. Por lá passaram também recentemente os portugueses António Lobo Antunes, Valter Hugo Mãe, Almeida Faria, Dulce Maria Cardoso, José Luís Peixoto, Gonçalo M. Tavares, Matilde Campilho, Alexandra Lucas Coelho e Ricardo Araújo Pereira