Papa: assistência na saúde será mantida "em prontidão", apesar da tolerância de ponto

Comissão de Gestão do Plano de Contingência do Ministério da Saúde assegura que "existem serviços mínimos a assegurar".

Foto
Nelson Garrido

Os meios para a assistência na saúde dos participantes nas comemorações do centenário das "aparições" de Fátima serão "mantidos em prontidão", apesar da tolerância de ponto a 12 de Maio, garantiu o responsável do plano para o sector.

De acordo com António Marques da Silva, presidente da Comissão de Gestão do Plano de Contingência do Ministério da Saúde para as Comemorações do Centenário das Aparições de Fátima, a 12 e 13 de Maio, "existem serviços mínimos a assegurar" para todos os eventuais cenários.

Para 12 de Maio, o Governo decretou tolerância de ponto, o que poderá resultar na ausência do local de trabalho de funcionários públicos de instituições, como unidades de saúde estatais, alegadamente para irem participar nas comemorações em Fátima. António Marques da Silva explicou que "uma tolerância de ponto não pode afectar os serviços mínimos".

"Naturalmente que os dispositivos de apoio às Comemorações das Aparições de Fátima se enquadram na logística de urgência e emergência que terá de ser respeitada, em qualquer circunstância que seja", acrescentou.

A assistência na saúde aos peregrinos, altas individualidades esperadas em Fátima e ao Papa Francisco vai contar com "um envolvimento da rede hospitalar claramente mais abrangente, além dos dispositivos anteriores em apoio a comemorações" na Cova da Iria. Em apoio de retaguarda, existirão dez organismos centrais e regionais da Saúde, com dez unidades hospitalares em estado de prontidão, incluindo as localizadas em maior proximidade e as centrais polivalentes universitárias.

Um primeiro eixo de resposta será assumido pela emergência pré-hospitalar. Um segundo eixo (em maior proximidade geográfica e para situações de menor gravidade) será composto pelo Hospital Distrital de Santarém, Centro Hospitalar do Médio Tejo, Centro Hospitalar do Oeste e o Centro Hospitalar de Leiria. Existirá ainda um terceiro eixo constituído por unidades hospitalares com serviços de urgência polivalentes e maior capacidade para doentes críticos: Centro Hospitalar do Porto, Centro Hospitalar São João, Centro Hospitalar de Lisboa Central, Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e Centro Hospitalar Lisboa Norte.

Os últimos dois centros hospitalares estarão em primeira linha para as situações mais graves, oferecendo sempre uma alternativa. Para os cuidados de saúde primários, existirão centros disponíveis em horário prolongado, de forma a facilitar a acessibilidade, ao longo dos trajectos mais utilizados a caminho de Fátima e no destino.

A 28 de Maio, quando foi apresentado o Plano de Contingência para as Comemorações do Centenário das Aparições de Fátima, António Marques da Silva referiu que este foi desenhado para servir o evento, mas que permitirá também testar meios de resposta a uma situação de excepção. No seu entender, o que foi e está a ser definido para estas comemorações "pode ser útil para Fátima, mas também para ter meios testados para qualquer situação que possa surgir".

O Papa Francisco visita Fátima a 12 e 13 de Maio para canonizar os dois pastorinhos Jacinta e Francisco no centenário das "aparições" na Cova da Iria, em 1917. Francisco tem também encontros agendados com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e com o primeiro-ministro, António Costa.