Primeiro canal católico português começa a transmitir de Fátima nesta quinta-feira

Directora trabalhou no canal televisivo de origem brasileira Canção Nova, mas sonhava fazer algo mais parecido com o "jeito de ser português". Estúdios são em Fátima.

Foto
Nelson Garrido

Há 13 anos, Sandra Dias trabalhava na área administrativa da empresa do marido, em Vila do Conde. O casal morava no Porto, com duas filhas ainda crianças, e a mulher, hoje com 48 anos, não se imaginava a ter um emprego diferente. Mas, hoje, Sandra é a directora daquele que será o primeiro canal católico português, cujas emissões deverão começar a ser transmitidas nesta quinta-feira na rede Meo e, a partir de 2 de Maio, na NOS. A religião trocou-lhe, literalmente, as voltas à vida.

Se tudo correr como previsto e a Angelus TV começar a sua emissão pelas 10h desta quinta-feira, os telespectadores vão ficar a conhecer o projecto ligando o canal 187 da Meo. O primeiro programa pretende apresentar a equipa e depois, a partir de Fátima, onde estão instalados os estúdios, será transmitida a missa das 11h, directamente do santuário. Mas o canal está longe de ser um mero retransmissor de cerimónias religiosas, garante Sandra Dias. “São 28 programas, desde programas infantis, bricolage, turismo… Da minha experiência pessoal e vivência da fé, acredito que ela pode ser vivida nos mais diversos contextos da nossa vida, não só na vivência da missa ou na oração do terço, que é importante, mas precisa de ser testemunhada em tudo o que realizamos e vivida com alegria. E é isso que quero que a Angelus TV transmita. Programas que não sejam muito pesados, mas de formação e que nos dêem gosto. A fé não é só ouvir catequese e as palavras do Papa. Também é vivida num simples programa de culinária, ginástica ou de saúde”, diz.

O percurso de Sandra Dias em direcção à televisão começou quando ela e o marido aceitaram o desafio da Canção Nova – fundada no Brasil e que tem um canal televisivo que também transmite em Portugal – de irem para Fátima serem missionários da comunidade. Venderam tudo o que tinham no Norte do país e mudaram-se, com as filhas, para um apartamento em Fátima, que pertencia à comunidade religiosa. “Pela minha experiência profissional, fui trabalhar para a área administrativa e de contabilidade, mas meses depois recebi o convite para apresentar um programa da TV Canção Nova”, conta. Com o novo desafio chegou a vontade de estudar comunicação e, mais tarde, depois de oito anos na direcção do canal televisivo, nasceu uma vontade diferente. “Por razões pessoais pedi para sair da direcção e abracei o desafio de ir para a rádio Canção Nova, mas o bichinho da televisão ficou sempre e foi crescendo também um dos meus grandes sonhos, que era ter uma televisão católica mais do nosso jeito de ser português”, diz.

Sonho nasceu há quatro anos

A Angelus TV começou, assim, a desenhar-se há quatro anos. “Foi uma caminhada muito gerida a nível familiar e com os amigos, sempre muito discutida nas conversas que íamos tendo”, explica Sandra Dias. Foi assim que nasceu o logotipo do canal e, mais tarde, o nome, inspirado nessa imagem. Com os conhecimentos obtidos na Canção Nova, Sandra conseguiu ajuda na parte técnica e, para o investimento global de 800 mil euros – com o plano de negócios desenhado para que o canal possa começar a dar lucro só ao fim de seis meses –, o projecto foi candidatado a fundos europeus, tendo obtido “uma aprovação parcial”, garante a directora. O outro apoio vem de parceiros, incluindo o Santuário de Fátima, que fornece “apoio logístico”. “Temos um espaço onde é a sede do canal, os estúdios e teremos ainda dois espaços no santuário para transmitir em directo a missa das 11h e o terço das 21h30”, conta.

As cerimónias do centenário e a visita do Papa Francisco estão, é claro, a ser preparados pela equipa de cerca de 20 profissionais da Angelus TV, mas muito para lá desses dias, as transmissões estão garantidas, diariamente, com programas como o Clube dos Anjinhos (infantil), Livros com Fé (em parceria com a editora Paulus) ou Caminhos da Minha Terra (divulgação de locais religiosos a visitar no país). Sandra Dias diz que espera alcançar seis a sete mil telespectadores diários. “Se serão fiéis ou não, só o tempo o dirá”, afirma.