Thomas Mukoya/Reuters
Foto
Thomas Mukoya/Reuters

O último rinoceronte-branco macho está no Tinder para evitar a extinção

Sudan é o último macho rinoceronte-branco e tem agora um perfil no Tinder para salvar a espécie

Um dos mais recentes utilizadores da popular aplicação de encontros, o Tinder, pode causar alguma estranheza aos demais que o encontrarem no seu caminho. É o último espécime macho do rinoceronte-branco e tenta salvar a espécie.  

“Sou único. Sério, sou o último rinoceronte-branco do planeta Terra. Não me quero gabar, mas o destino da minha espécie depende literalmente de mim. Tenho uma boa performance sob pressão”, diz o perfil de Sudan, citado pela Associated Press (AP).

A iniciativa nasceu de uma campanha realizada por uma reserva animal do Quénia e que contou com a colaboração do Tinder, que intitula o novo utilizador como “o solteiro mais qualificado do mundo”.

Na prática, a aplicação vai funcionar como sempre: quando alguém der com o perfil de Sudan, ou vice-versa, e colocar um “like”, os dois estarão conectados a partir desse momento — é um match. Só que ao contrário do que acontece com duas pessoas, neste caso não se abrirá uma caixa de conversa, mas sim um bloco de informações sobre como ajudar a espécie e fazer um donativo.

Sudan, com 43 anos, vive com duas fêmeas. No entanto, não foi possível até agora procriar através de métodos naturais. Assim, o Tinder e a organização Ol Pejeta Conservancy, do Quénia, tentam reunir nove milhões de dólares (mais de oito milhões de euros) para financiar o recurso a métodos de procriação alternativos, como a fertilização in-vitro.

O optimismo dos promotores da iniciativa é grande, até porque o perfil do animal estará disponível em 190 países e em 40 línguas.