Quadro atribuído a Velásquez vendido por oito milhões de euros

Governo espanhol, que tinha proibido a exportação da obra, não exerceu direito de opção.

Foto
Retrato de niña Abalarte-Leilões

Uma pintura até agora desconhecida e atribuída a Diego Velásquez (1599-1660), Retrato de niña, foi vendida na noite desta terça-feira, num leilão em Madrid, por oito milhões de euros. O comprador foi um coleccionador espanhol, que a leiloeira Abalarte não identificou. E o preço foi o mesmo da base de licitação do quadro, e que tinha sido avançado na semana passada pelo jornal El País.

Segundo a agência noticiosa Efe, o Estado espanhol não exerceu o direito de opção, apesar de, na sexta-feira, o secretário de Estado da Cultura ter declarado a proibição de saída da pintura do país, considerando-a “um bem de interesse cultural”.

Retrato de niña, a que a Abalarte chamou também Jovem imaculada no catálogo do seu leilão de pintura, joalharia e mobiliário, pertencia a um coleccionador privado e estava na posse da sua família desde há mais de um século. No início de Abril, ao anunciar a sua inclusão nos lotes do leilão, a leiloeira de Madrid apresentou-a como uma obra inédita do grande pintor espanhol do século XVII, apoiando-se na análise e na opinião do especialista britânico de pintura antiga Richard de Willermin, que inclusivamente avançou o ano de 1617 como data da sua criação.

“À falta de estudos técnicos mais completos, tudo parece indicar tratar-se de uma obra atribuível a Velásquez”, admitiu também o Ministério da Educação, Cultura e Desportos, quando declarou que o retrato não poderia sair do país.

Esta restrição terá certamente pesado no facto de o preço de venda deste Retrato de niña – um quadro com as dimensões 57,5 x 44cm, que representa uma menina com as mãos em pose de oração, vestida com uma saia castanha e um manto verde – não ter ultrapassado a base de licitação.