Foto

Uma DJ japonesa... com 82 anos

Sumiko Iwamuro começou a aprender a arte de DJing quando era já septuagenária. Melómana desde sempre, aprendeu rápido e podemos encontrá-la actualmente a animar noites de Tóquio com techno, música clássica, jazz e pop japonesa

Dir-se-ia que é um percurso de vida perfeitamente normal. Na infância, Sumiko Iwamuro, cujo pai era baterista de jazz, ouvia swing americano às escondidas, com as colunas de som abafadas para que ninguém percebesse que se deliciava com a música do inimigo (ela estava em Tóquio, o mundo vivia a Segunda Guerra Mundial). No início da vida profissional, tornou-se cozinheira num restaurante. Aos 82 anos, continua a trabalhar de dia, gerindo o mesmo restaurante e cozinhando ainda os obrigatórios dumplings. De noite, a sua vida é outra: Sumiko Iwamuro transforma-se em DJ Sumirock, estrela no DeabarZ, no bairro de Shinjuku, Tóquio, onde tem residência mensal - pois, talvez não seja um percurso de vida tão normal.

Foi após a morte do marido que Iwamuro deu o decisivo passo em frente na sua carreira paralela. Melómana desde sempre, era já septuagenária quando foi aprender um novo ofício numa escola de DJing. Aprimorada a arte na escola e em casa, passou então para os clubes. E não desiludiu. “Ela tem uma energia que está para além da idade, e consegue equivaler-se a qualquer jovem que vejamos aqui”, disse um dos frequentadores do DeadbarZ, Fuminari Fujii, de 25 anos.

Os seus sets assentam num curioso ecletismo que cruza géneros e gerações. Batida techno, cruzada com jazz, chanson francesa, música clássica ou hard-rock. “Quando rodo os pratos, só que quero combinar bem a batida e escolher a música certa”, diz. Ambição simples, mas de olhos postos no futuro. Aos 82 anos, Iwamuro ambiciona chegar mais longe. Acredita que, mais à frente na sua carreira paralela, poderá chegar o dia da sua estreia num clube nova-iorquino.