Torne-se perito

José Eduardo Agualusa e Mia Couto na shortlist do International Dublin Literary Award

Os escritores estão nomeados para o prémio com as respectivas obras Teoria Geral do Esquecimento e A Confissão da Leoa. O vencedor será anunciado a 21 de Junho.

Foto
José Eduardo Agualusa e Mia Couto Miguel Manso

São dez os romances que competem este ano pelo International Dublin Literary Award, galardão que destaca um único trabalho de ficção publicado em língua inglesa com um prémio no valor de cem mil euros. Após marcarem presença na lista inicial de nomeados, José Eduardo Agualusa e Mia Couto transitam agora para a fase final para representar a língua portuguesa com as obras Teoria Geral do Esquecimento (A General Theory of Oblivion, tradução de Daniel Hahn) e A Confissão da Leoa (Confession of the Lionness, tradução de David Brookshaw). A lista consagra quatro obras escritas originalmente em inglês e seis traduzidas, abarcando no total 11 nacionalidades.

Entre as restantes obras nomeadas encontram-se The Prophets of Eternal Fjord de Kim Leine (Dinamarca/Noruega), The Story of My Teeth de Valeria Luiselli (México), A Whole Life de Robert Seethaler (Áustria) e A Little Life de Hanya Yanagihara (Estados Unidos). Orhan Pamuk, que venceu em 2003 o prémio com o livro My Name is Red, é um repetente na shortlist do International Dublin Literary Award, desta vez com a obra A Strangeness In My Mind. Por seu turno, há lugar para estreantes como Viet Thanh Nguyen (Vietname/Estados Unidos) e Chinelo Okparanta (Nigéria/Estados Unidos), que estão nomeados, respectivamente, pelas suas primeiras obras publicadas – The Sympathizer (obra vencedora do Pullitzer 2016) e Under the Udala Trees.

A premiada autora Anne Enright (Man Booker Prize de 2007) é a única nomeada irlandesa com a obra The Green Road, que conta a história de uma família irlandesa ao longo de 25 anos. O livro, que tem arrecadado vários prémios nacionais, fez inclusive parte da longlist do Man Booker Prize 2015. A relação entre o galardão internacional irlandês e o Man Booker Prize não passa despercebida, já que o angolano José Eduardo Agualusa também esteve em 2016 incluído na shortlist do prémio que consagra o que de melhor se faz na ficção mundial com Teoria Geral do Esquecimento. No ano anterior, o escritor Mia Couto tornara-se o primeiro moçambicano a ser finalista do renomado prémio internacional.

Os títulos considerados para a shortlist do International Dublin Literary Award foram indicados por um conjunto de bibliotecas públicas de países como Áustria, Bélgica, Brasil, Croácia, Dinamarca, Alemanha, Grécia, Irlanda, Portugal, Polónia, Escócia, Suécia e Estados Unidos. “Como leitores, estas obras acrescentam personagens novas e envolventes ao nosso círculo de conhecimentos literários internacionais”, disse Margaret Hayes, bibliotecária-chefe do arquivo e rede de bibliotecas de Dublin, a propósito do anúncio da shortlist do prémio, esta terça-feira.

O International Dublin Literary Award é inteiramente financiado pelo governo local, cujo objectivo é impulsionar a criação literária de excelência em todo o mundo. Em 2010, Dublin foi designada Cidade da Literatura da UNESCO, dado que o seu património literário consagra grandes figuras da literatura internacional como Samuel Beckett, James Joyce e Oscar Wilde. O anúncio do vencedor será feito a 21 de Junho pelo presidente da câmara de Dublin, Brendan Carr.

Sugerir correcção