Ver pornografia online passou a ser ainda mais privado

O Pornhub e o YouPorn, dois populares sites de acesso livre na indústria dos vídeos para adultos, reforçam os protocolos de segurança em resposta a decisão do Senado dos EUA.

O Pornhub e o YouPorn fazem parte da lista do Google para os sites mais visitados do mundo
Foto
O Pornhub e o YouPorn fazem parte da lista do Google para os sites mais visitados do mundo Nuno Ferreira Santos

A graçola está feita: “A informação armazenada nas nossas páginas passa a estar encriptada, fazendo com que seja significativamente mais difícil de penetrar por terceiros”. É o próprio vice-presidente do YouPorn, Brad Burns, que a fez no momento em que anunciou um reforço na protecção dos dados de quem acede ao site de entretenimento para adultos. Dias antes, o ainda mais popular Pornhub – que é detido pela mesma empresa – tinha feito o mesmo.

Os dois sites vão passar o protocolo HTTPS – sigla que acrescenta o “S” de “secure” ao comum “http” que se encontra nos endereços na Internet – para dar “confidencialidade” aos utilizadores. Não se trata só de aplacar perigos iminentes, como os hacks que levam os mais cautelosos a tapar a câmara do computador (nesta ou noutras situações). É uma resposta ao Senado norte-americano, que revogou a lei de privacidade online da Administração Obama.

Com o apoio do Presidente Donald Trump, a maioria republicana da câmara alta do Congresso deu às empresas de telecomunicações a possibilidade de vender o historial de navegação dos seus clientes sem autorização prévia. Os democratas estão a tentar reverter a decisão, que promete afinar – e muito – a capacidade dos anunciantes para direccionar publicidade de acordo com hábitos individuais e assim reduzir o clássico desperdício registado no sector.

O protocolo seguro que o Pornhub e o YouPorn – ambos listados pelo Google no ranking das 100 páginas mais visitadas do mundo – adoptaram não impede fornecedores de Internet de saber que alguém visitou aquele site (é verdade, usar o browser em modo privado serve de pouco). No entanto, os vídeos, as pesquisas ou as secções específicas que cada pessoa vê ficam protegidas de olhares indiscretos.

“A transição para HTTPS contribuirá bastante para reforçar a privacidade dos utilizadores e protegê-los-á contra vários tipos de software malicioso”, sublinhou Brad Burns. O PornHub fez uma promessa idêntica aos seus mais de 70 milhões de visitantes diários. O YouPorn tem 64 milhões. Não são números que queiram pôr em risco. Ou deixar que a Administração Trump o faça.