Sondagem: PS e PSD sobem mas socialistas têm dez pontos de vantagem

Partido do Governo acentua a vantagem sobre o maior rival, segundo o barómetro da Eurosondagem. Todos os protagonistas políticos crescem em popularidade.

O partido liderado por António Costa subiu quase 5% nos últimos 13 meses
Foto
O partido liderado por António Costa subiu quase 5% nos últimos 13 meses Reuters/TONY GENTILE

O meio ponto percentual que o PSD subiu nas intenções de voto segundo o barómetro de Abril da Eurosondagem equivale a meia boa notícia para o partido liderado por Passos Coelho: é a primeira subida que regista desde Julho neste estudo de opinião feito para o jornal Expresso e a SIC, mas é só metade do que subiu o rival PS, no mesmo período.

Nesta altura, exactamente dez pontos percentuais separam os dois maiores partidos, com o PS em vantagem. Os socialistas continuam a fazer um eficaz trabalho de formiga: grão a grão, contam já com 39,3% das intenções de voto, quase cinco pontos percentuais mais do que tinham em Março de 2016.

Mais atribulado tem sido o percurso descendente do PSD: em Março de 2016 tinha 32%, em Outubro caiu para a casa dos 30%, em Dezembro vê esvair-se a vantagem que podia ter sobre o PS caso mantivesse a coligação com o CDS e em Fevereiro de 2017 entra na fasquia sub-30. Agora, mesmo com a ligeira subida, os sociais-democratas contam com 29,3% das intenções de voto.

Este mês de Abril, apenas o PS e o PSD sobem nas intenções de voto. Os restantes partidos com assento parlamentar – BE, CDS-PP, CDU (PCP+PEV) – descem, sendo os centristas os que mais perdem (0,8%).

Curiosamente, todos os líderes partidários vêem subir a sua popularidade, assim como o Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa subiu 1,8% e tem neste momento 71,7% de apreciações positivas e 11,7% de negativas, registando um saldo positivo de 60%. O primeiro-ministro é o segundo mais popular desta tabela, com 33,5% de opiniões favoráveis, uma subida de 1,7% este mês.

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, subiu 1,6% para 11,9% de saldo positivo entre as opiniões positivas e negativas, enquanto a líder centrista, Assunção Cristas, regista mais 1,5% do que em Março, apesar da descida do partido que lidera.

Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP subiu 1,4% e mantém-se pouco abaixo de Passos Coelho neste ranking (11,8%). Catarina Martins, coordenadora do BE, foi a líder partidária que menos subiu (0,1%) e é também a que tem um saldo mais estreito entre as opiniões positivas e negativas (8,1%).

O estudo de opinião foi efectuado entre 30 de Março e 5 de Abril de 2017 a 1169 pessoas das regiões de Portugal continental por entrevistas telefónicas, das quais 166 não quiseram participar. O erro máximo da amostra é de 3,09%, para um grau de probabilidade de 95%.