Custo do trabalho em Portugal aumentou 2,5% em 2016

Portugal é o sexto país da zona euro onde o custo médio horário da mão-de-obra é mais baixo: 13,7 euros.O mais alto é o dinamarquês: 42 euros por hora.

Foto
Na zona euro, o custo médio da mão-de-obra subiu 1,4% Daniel Rocha

Os custos do trabalho subiram 2,5% no ano passado em Portugal, acima do aumento médio da zona euro e em linha com a variação sentida na Alemanha. Os dados do gabinete estatístico europeu, divulgados nesta quinta-feira, mostram que o custo médio por hora foi de 13,7 euros.

O organismo de estatística europeu Eurostat faz a conta a este indicador no conjunto da economia, excluindo da análise o sector da agricultura e ainda a administração pública. O custo da mão-de-obra engloba não só os salários pagos aos trabalhadores e as contribuições pagas pelos empregadores à Segurança Social, como os custos da formação profissional ou de outras despesas não salariais (por exemplo, gastos relacionadas com o recrutamento).

A subida em Portugal foi mais acentuada do que em 2015, em que os custos do trabalho, ao fixarem-se nos 13,4 euros por hora, tinham registado um aumento médio de 1,5% face a 2014, ano em que estavam nos 13,2 euros.

Portugal é o sexto país da zona euro onde o custo médio horário da mão de obra é mais baixo, depois de Malta, Estónia, Eslováquia, Letónia e Lituânia.

No conjunto dos países que partilham a moeda única, a subida foi de 1,4%, colocando o valor nos 29,8 euros por hora. Nos países da União Europeia, onde há diferenças muito significativas, a média continua a ser mais baixa, de 25,4 euros por hora.

A Alemanha registou uma subida de 2,5%, com os custos do trabalho por hora a serem de 33 euros. O valor mais baixo da União é na Bulgária (4,4 euros) e o mais alto da Dinamarca (42 euros).