Arquitecta Eliana Sousa Santos ganha prémio Fernando Távora

Projecto Branco a branco – White salts, white sands consiste numa "viagem pelo deserto americano e Novo México".

Fotogaleria
Eliana Sousa Santos DR
Fotogaleria
O projecto vencedor consiste numa "viagem pelo deserto americano e Novo México" DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR

A arquitecta Eliana Sousa Santos venceu a edição deste ano – a 12.ª – do Prémio Fernando Távora. A distinção foi atribuída ao projecto Branco a branco – White salts, white sands, que consiste numa "viagem pelo deserto americano e Novo México" e foi escolhida, por unanimidade, “pela abrangência disciplinar do seu conteúdo, relacionando paisagem, arte e arquitectura e, por outro lado, pela sua referenciação à arquitectura chã e à simplicidade buscada num território abstracto e intangível”, diz o comunicado da organização.

Eliana Sousa Santos é licenciada em arquitectura pela Universidade Técnica de Lisboa, mestre pela Universidade de Coimbra e doutorada pela Universidade de Londres, tendo sido investigadora de pós-doutoramento convidada na Universidade de Yale, nos Estados Unidos, de acordo com a biografia existente na página da Trienal de Arquitectura de Lisboa.

Investigadora no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra com o projeto George Kubler’s Shape of Time: The Historiographical effect of Portuguese Plain Architecture in Post-revolutionary Portugal, é professora auxiliar do departamento de arquitectura da Universidade Lusófona. Eliana Sousa Santos comissariou a exposição A forma chã, patente no Museu Gulbenkian, em Lisboa, no ano passado.

Lançado em 2005, numa iniciativa da Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (SRN/OA), com o apoio da Casa da Arquitectura e da Câmara Municipal de Matosinhos, o prémio homenageia Fernando Távora (1923-2005), um nome fundamental da Escola do Porto, e que sempre valorizou a viagem como factor indispensável à formação do arquitecto e à prática da arquitectura.

O prémio vale 6 mil euros, uma bolsa de viagem que deverá ser utilizada na concretização do projecto vencedor. O autor fará depois a apresentação do resultado da sua viagem e da sua investigação numa conferência a 5 de Outubro, Dia Mundial da Arquitectura, em Matosinhos.

Desde a sua instituição, o Prémio Fernando Távora distinguiu sucessivamente os arquitectos Nelson Mota, Sílvia Benedito, Maria Moita, Cristina Salvador, Armando Rabaça, Marta Pedro, Paulo Moreira, Sidh Mendiratta, Susana Ventura, André Tavares e Maria Neto.