Foto

É um café e uma marca portuguesa, por favor

"Marcas à Mesa", uma exposição da associação Museu na Póvoa de Varzim, revela marcas icónicas portuguesas, publicidade e ilustração

Marcas icónicas portuguesas, publicidade e ilustração. A relação entre estes vértices é a base da exposição "Marcas à Mesa", nas elegantes montras e prateleiras do Café Schmits (Rua Serpa Pinto, 93), na Póvoa de Varzim, até ao dia 15 de Abril.

Nesta mostra de objectos, que parecem ter saltado dos cartazes e panfletos que os acompanham, são exibidas duas marcas (a Gaz Cidla e a Mobil Oil Portuguesa), cujo material gráfico foi concebido por dois dos mais representativos ilustradores portugueses da época, nomeadamente Gabriel Ferrão e Mário Costa.

O primeiro, um dos ilustradores de eleição da Majora durante a década de 40, foi uma figura incontornável da literatura para a infância dos anos 40 e 50, com uma forma única de figuração cómica e naif dos seus bonecos, imitando um pouco os desenhos dos estúdios americanos. "Na sua colaboração com a Gazcidla", lê-se num comunicado da organização da exposição, "Gabriel Ferrão mostrou-se surpreendente, com um traço geometrizado, combinava o humor cartoonesco com os estereotipados papéis sociais e de género. Figuras centrais das suas ilustrações são o chefe de família e a dona de casa: o homem que chega a casa após o trabalho e se senta à mesa a saborear a refeição confeccionada pela dedicada esposa, num fogão Presmalt."

PÚBLICO -
Foto

O segundo, pintor e ilustrador, é reconhecido especialmente pelas suas ilustrações a preto e branco, em publicações infanto-juvenis, como O Senhor Doutor, Rim-Tim-Tim, Pim-Pam-Pum e O Mosquito. "No entanto, também contribuiu para o apogeu da sua carreira trabalhos de criação artística para empresas (como a Mobil) e para o Estado (como a Junta Nacional do Vinho), bem como excelentes pinturas em aguarela."

PÚBLICO -
Foto

A par das duas marcas, a Museu - Memórias Únicas (associação sem fins lucrativos que tem por missão "ajudar organizações e famílias a preservar e celebrar as suas memórias") junta algumas embalagens de produtos icónicos portugueses que fazem parte da nossa memória e respectiva publicidade. "A mudança da identidade visual ao longo do tempo é uma realidade na maioria das marcas, sendo que as embalagens expostas já não se produzem, e alguns dos logotipos são, actualmente, diferentes".

PÚBLICO -
Foto

Mesmo ao lado, na Filantrópica, rua da Lapa, a Museu apresenta a exposição "Abril em Cartaz: Iconografia da Liberdade" até ao dia 30 de Abril.