PSD e CDS remetem para a esquerda solução para o Novo Banco

Os partidos da oposição reuniram-se esta terça-feira com o Governo, à vez, e dizem que o executivo tem base parlamentar para suportar as escolhas que fizer em relação ao banco.

Foto
Solução para Novo Banco chegará esta semana Rita Franca

Para já, o PSD não diz se apoia ou não a solução que o Governo lhe apresentou para o Novo Banco, mas vai deixando avisos a António Costa sobre o facto de a maioria parlamentar existir, e existindo, servir para aprovar as decisões. Os sociais-democratas estiveram esta terça-feira reunidos com o executivo e dizem apenas que ninguém lhes pediu "apoio para a decisão" sobre o banco. Contudo, acrescentam que o Governo tem "maioria parlamentar para suportar as suas escolhas políticas mais importantes". O mesmo recado surgiu do CDS que fez sair uma nota aos jornalistas onde diz que "o Governo dispõe de uma maioria parlamentar de apoio, da qual o CDS não faz parte".

A reunião aconteceu esta terça-feira, na sala do Governo na Assembleia da República e serviu para o Governo informar o PSD sobre o processo de venda do Novo Banco. Os sociais-democratas confirmaram ao PÚBLICO essa reunião, mas não querem para já dizer que atitude vão tomar.

“O PSD esclarece que não foi solicitado pelo Governo ao PSD qualquer apoio para a decisão que o Governo pretende tomar. O Governo, é por demais sabido, dispõe de maioria parlamentar para suportar as suas escolhas políticas mais importantes”, disse fonte do grupo parlamentar do PSD ao PÚBLICO.

Os sociais-democratas não querem para já dizer qual vai ser a posição em relação ao que lhe foi comunicado ou se o Governo assumiu que teria de abdicar do direito na gestão do Novo Banco.

“Sim, o Governo solicitou ao PSD um encontro com o propósito de informar sobre o Novo Banco”, diz o mesmo responsável do PSD, que acrescenta no entanto que “caberá ao Governo esclarecer concretamente sobre as informações que deseja comunicar publicamente”.

Em causa está o processo de venda do Novo Banco, que, segundo o PÚBLICO desta segunda-feira, pode passar pela renúncia do Estado ao poder de gestão do banco, mesmo que o Fundo de Resolução fique com 25% do capital.

Já a meio desta tarde, o CDS fez saber que também esteve reunido com o executivo em que o assunto em cima da mesa é o Novo Banco, "com carácter meramente informativo". Fonte da direcção diz que "quanto ao tema concreto tratado, o Governo dispõe de uma maioria parlamentar de apoio, da qual o CDS não faz parte".