"Quo Vadis?": as brochuras das igrejas de Lisboa migraram para o digital

Guia turístico criado pelo Patriarcado de Lisboa está disponível num site e numa aplicação móvel. Há 120 igrejas na capital para descobrir.

Foto
O guia permite ainda ver a informação sobre os museus, santuários e outros espaços de património religioso Rui Gaudencio

“Quo Vadis” é latim para “Onde vais?”. Este mês tornou-se também no nome de um guia turístico pelas igrejas de Lisboa. Disponível num site e numa aplicação para smartphones, Quo Vadis tem informação sobre mais de 120 igrejas da capital: história, eventos, horários de abertura e outras informações úteis.

Para além da informação sobre o património histórico e religioso do Patriarcado de Lisboa, de quem partiu a iniciativa, há cinco rotas pela cidade, mais ou menos curtas, mais ou menos exigentes. Os percursos estão assinalados no mapa, assim como a informação necessária para conhecer as Igrejas de Santiago e Castelo, Igrejas da Mouraria, Igrejas da Baixa, Igrejas do Chiado e as Igrejas de Alfama. As rotas podem demorar entre uma a quatro horas.

O guia permite ainda ver a informação sobre os museus, santuários e outros espaços de património religioso, assim como os eventos e peças de exposição que se encontrem no seu interior. Há ainda a sugestão de uma rota de peregrinação a Fátima.

Esta aplicação é, de acordo com o departamento de turismo do Patriarcado de Lisboa, um “site de turismo único na Europa”, que permite migrar os roteiros religiosos das brochuras em papel para o formato digital. Não que estes tenham deixado de existir: o Patriarcado garante que os turistas podem continuar a usar os guias, desdobráveis e flyers em papel.

O projecto Quo Vadis não se resume à aplicação lançada este mês. Começou no ano passado com o lançamento do primeiro volume do Guia das Igrejas da Cidade de Lisboa, como uma ferramenta para facilitar o acesso à informação cultural e espiritual àqueles que visitam a capital.