Alex Jones pede desculpa pelo boato do Pizzagate, o falso caso de pedofilia de Hillary

O gestor do site Infowars, Alex Jones, apresentou as suas desculpas ao restaurante e ao seu dono por ter divulgado informação errada. No entanto, não fez qualquer referência a Hillary Clinton.

Foto
Hillary Clinton era um dos alvos do boato sobre uma suposta rede pedófila. Reuters/CHARLES MOSTOLLER/ARQUIVO

Alex Jones, o polémico radialista norte-americano de extrema-direita, responsável pelo site de propaganda Infowars, pediu na sexta-feira desculpa por ter ajudado a disseminar a teoria da conspiração do chamado Pizzagate – um boato em torno de uma pizzaria de Washington onde teriem lugar crimes de pedofilia, em que também estaria envolvida a candidata presidencial democrata Hillary Clinton e o seu director de campanha, John Podesta. Mas a declaração teve como principal destinatário não a adversária de Donald Trump, mas antes James Alefantis, o proprietário da pizzaria Comet Ping Pong, que há um mês tinha enviado uma carta ao conspiracionista a exigir um pedido de desculpas.

Num vídeo de seis minutos publicado no site Infowars, fonte recorrente de teorias da conspiração e de propaganda de extrema-direita, é lido um comunicado em que é referido que o site se baseou numa “narrativa incorrecta” fundamentada por testemunhos de terceiros e de dois jornalistas que já não trabalham na publicação.

“Fiz comentários sobre o senhor Alefantis de que me arrependo e por isso peço-lhe desculpa”, afirma Jones no vídeo, acrescentando que não acredita que Alefantis ou o seu restaurante tenham alguma relação com supostos crimes de pedofilia.

Ainda assim, Jones, um destacado apoiante de Trump durante a campanha eleitoral, não apresentou qualquer pedido de desculpas a Hillary Clinton ou John Podesta sobre as acusações de um alegado envolvimento dos dois em crimes de abuso sexual de menores.

Na mensagem, Jones refere que foram removidos os vídeos em que tivesse sido discutido o caso Pizzagate, tal como tinha sido sugerido na carta enviada por Alefantis. Este foi um gesto raro, já que não é hábito de Jones recuar nas suas afirmações ou desculpar-se. 

“Quero que os nossos espectadores e ouvintes saibam que nos arrependemos de qualquer impacto negativo causado pelos nossos comentários ao senhor Alefantis, à Comet Ping Pong ou aos seus trabalhadores”, declara Jones durante a leitura do comunicado.

Em resposta, Alefantis disse estar “agradado” com o pedido de desculpas de Jones e por este ter admitido que tinha difundido, repetidamente, informação errada sobre si e sobre o seu restaurante. Ainda assim, esclarece que o seu pedido de desculpas nada faz para reparar os danos causados pelas afirmações difamatórias.

Tiros e ameaças de morte

O boato centrava-se no suposto envolvimento de que Hillary Clinton e o seu director de campanha, John Podesta, numa rede de tráfico e abuso sexual de crianças. Os crimes estariam a ser cometidos na pizzaria de Alefantis, localizada no centro da capital americana, alegavam publicações como o Infowars. No início de Outubro, o site WikiLeaks tinha divulgado mensagens electrónicas de John Podesta, em que era feita menção a uma campanha de recolha de fundos associada a Alefantis. Esta revelação foi o ponto de partida de um rumor infundado que afirmava que o seu restaurante servia de fachada a uma rede de pedofilia. Apesar de as acusações terem sido intensificadas e difundidas pelo site Infowars, as imputações de pedofilia surgiram pela primeira vez no fórum virtual 4chan, aparecendo também, posteriormente, no Reddit e noutras redes sociais, assim como em sites de notícias falsas.

Em Novembro de 2016, o New York Times publicou um artigo a desmentir o boato, depois de o dono da Comet Ping Pong e os seus empregados terem recebido mensagens abusivas e ameaças de morte. Mas mesmo depois de vários desmentidos, o sInfowars continuou a afirmar, sem provas, que a pizzaria estava vinculada a uma rede de pedofilia.

Por pouco, o boato não teve consequências ainda mais graves. A 6 de Dezembro de 2016, já após as eleições presidenciais norte-americanas em que Trump derrotaria Hillary, a pizzaria foi invadida por um homem armado. Edgar Welsh, de 28 anos, entrou na Comet Ping Pong com uma caçadeira para, segundo o próprio, investigar o suposto caso de pedofilia. Apesar de ter feito um disparo, ninguém ficou ferido.

“O que aconteceu prova que o facto de promover teorias conspiratórias falsas e sem sentido tem consequências”, criticou, na altura, James Alefantis. Agora, Alex Jones retira o que disse sobre o Pizzagate.