Brasil: militante do Movimento dos Sem Terra assassinado no hospital

Waldomiro Costa Pereira estava internado depois de ter sido atacado, dois dias antes. Vítima era militante do PT e tinha um cargo na prefeitura de Parauapebas, no estado do Pará.

Foto
Reuters/UESLEI MARCELINO

Um antigo líder do Movimento dos Sem Terra (MST) no estado brasileiro do Pará e actual assessor da prefeitura da cidade de Parauapebas, na mesma região, foi assinado esta segunda-feira, no interior do hospital onde estava internado há dois dias, depois de ter sido vítima de um outro ataque. Waldomiro Costa Pereira, que estava afastado da direcção do movimento a que pertencia desde 1996, era também militante do Partido dos Trabalhadores, ainda que recentemente tenha aceitado um cargo no gabinete do prefeito Darci Lermen, afecto ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro.

Segundo conta o portal Globo 1, um grupo de homens armados entrou no Hospital Geral de Parauapebas, tendo-se dirigido ao quarto da Unidade de Cuidados Intensivos em que estava internado Waldomiro Costa Pereira. Mataram-no a tiro. De acordo com a mesma fonte, os seguranças da unidade de saúde foram atacados por um grupo de cinco homens encapuzados que chegaram ao hospital de moto. Três deles entraram no edifício para matar Costa Pereira.

A Polícia Civil abriu um inquérito ao caso. Todo o ataque foi filmado pelas câmaras de segurança do hospital. 

Este era já o segundo ataque contra a vida de Waldomiro Costa Pereira. Dois dias antes, o militante do MST e assessor da prefeitura de Parauapebas foi atacado na sua quinta, tendo que ser internado na sequência dos ferimentos. Segundo a família, três homens armados entraram no terreno, uma área rural de 70 quilómetros de Parauapebas e atingiram-no a tiro.

Waldomiro Costa Pereira foi, durante anos, um dos principais líderes do MST na região do Pará. Em comunicado, o movimento lembra, porém, que desde 2015 que Costa Pereira “não estava participando das instâncias de direcção”.