Preocupação com a paisagem vale bandeira de “Excelência” a Paredes de Coura

Projecto pioneiro que envolve a população na construção de um Plano de Paisagem é uma das razões para o município receber a Bandeira da Rede de Cidades de Excelência

Foto
Marco Duarte

Paredes de Coura vai receber esta terça-feira a Bandeira “Cidade de Excelência” – Nível II, atribuído pelo Instituto de Cidades e Vilas com Mobilidade, ICVM. “O grau de evolução da implementação do Plano de Acção Local” proposto pelo município quando aderiu à Rede de Cidades e Vilas de Excelência é a razão apontada pela entidade para dar o prémio nas áreas da regeneração urbana e do turismo a Paredes de Coura.

O presidente da autarquia, Victor Paulo Pereira, diz que as iniciativas “inserem-se num contexto de preocupações ambientais” que mais do que “um propósito político” visam uma acção mais cívica. “Mais ambicioso que os Planos Directores Municipais”, o Plano de Paisagem, único em Portugal, convidou os habitantes de Paredes de Coura a “reflectir” sobre a paisagem e a natureza do município, explica ao PÚBLICO Victor Pereira.

Os cidadãos da cidade de Viana do Castelo começam a olhar pela natureza não “como um factor impeditivo do progresso”, que trava a urbanização e a construção, mas como “fonte de riqueza inestimável”, diz o presidente.

Durante as sessões públicas de debate, uma das principais preocupações da população recaía na preservação e extensão dos carvalhais do concelho, ao mesmo tempo que se defendeu um travão ao avanço do eucalipto. Estas preocupações foram ouvidas e vão agora ser elaborados planos para as pôr em prática. Corno de Bico, em Paredes de Coura, é Paisagem Protegida e tem como principal coberto o carvalhal, um bosque mistro dominado pelo carvalho-alvarinho e pelo azevinho. Em Portugal, os carvalhos representam 2% das florestas, enquanto um quarto das florestas nacionais são eucaliptais.

A criação de “Meandros do Coura”, um percurso interpretativo do Rio Coura com mais de um quilómetro que procura uma intervenção humana minimalista e a construção de um Centro de BTT dedicado à prática de Cross Country no Corno de Bico provam que o plano não é considerar a natureza “um presépio vivo”, clarifica Vítor Almeida.

Estes dois projectos foram o destaque da vertente do turismo onde o município “está a dar os primeiros passos”. A aposta vai ser também na “paisagem rural” do interior do Alto Minho, diz o presidente.

No âmbito da regeneração urbana, o destaque vai para o Plano de Acção de Regeneração Urbana (PARU) de Paredes de Coura, fruto da candidatura aos fundos do programa Portugal 2020. O objectivo é tornar o centro da vila num local dinâmico, tanto para quem a visita como para quem lá vive, lê-se na proposta.

O Instituto de Cidades e Vilas com Mobilidade foi criado em 2006 e é uma associação de natureza privada, "de interesse público e sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento integrado, harmonioso e sustentável do território e das pessoas que nele habitam ou visitam", lê-se no site oficial. 

Texto editado por Ana Fernandes