Itália cancela programa após episódio sexista, "absurdo e inaceitável"

A estação pública italiana Rai está no centro de uma polémica. A empresa já se desculpou publicamente e cancelou o programa.

Os convidados debateram o "fascínio pelas mulheres de Leste"
Foto
Os convidados debateram o "fascínio pelas mulheres de Leste" DR Rai

“São donas de casa perfeitas”. “Estão dispostas a deixar os homens assumirem o comando”. “Todas se tornam mães, mas recuperam a forma física rapidamente”. Estas características foram debatidas num talk show italiano como motivos para preferir uma namorada de países da ex-União Soviética.

A conversa - que já foi classificada como machista, racista e até “surreal” - teve lugar na transmissão do último sábado do programa Parliamone Sabato, no canal Rai 1, onde a apresentadora Paola Perego pôs um painel de convidados a debater porque é que os homens italianos “preferiam” as mulheres estrangeiras. 

“Queremos falar do fenómeno das mulheres de Leste e do fascínio que exercem sobre os homens”, explicou a italiana.

O programa mostrou uma entrevista com um homem que se apaixonou por uma mulher russa, seguindo-se uma sequência de imagens de galãs italianos acompanhados por mulheres não italianas.

Depois das peças sobre a “preferência” dos homens pelas mulheres estrangeiras, foi apresentada uma lista com seis “motivos para escolher uma namorada do Leste”, tais como “são donas de casa perfeitas e desde cedo aprendem as tarefas domésticas”, “perdoam infidelidades” e ainda “estão sempre sensuais, tanto nuas como de pijama”.

A lista, que o jornal italiano Corriere della Sera afirma ter sido adaptada de um site que originalmente as apresentava de forma irónica, foi comentada pelos convidados em estúdio, incluindo a ex-miss italiana Manila Nazzaro, com várias piadas e comentários pejorativos. 

Indignação

Logo após a transmissão do programa, os telespectadores reagiram à reportagem com uma enxurrada de críticas nas redes sociais.

Algumas pessoas confessaram estar em dúvida se se tratava afinal de uma brincadeira, enquanto outros questionavam como era possível estarem a pagar impostos por conteúdos "machistas" e "racistas".

O director da Rai 1, Andrea Fabiano, já veio desculpar-se. “Os erros devem ser sempre reconhecidos. Peço desculpas a todos pelo que viram e ouviram no #ParliamoneSabato”, escreveu na manhã desta segunda-feira no Twitter.

A polémica levou também a presidente da Rai, Monica Maggioni, a desculpar-se. “O que vi foi uma representação surreal da Itália de 2017. Se essa representação é feita num serviço público, torna-se um erro absurdo, inaceitável”, disse à agência Ansa. “Como mulher, sinto-me pessoalmente envolvida, e peço desculpas”.

Uma das respostas mais incisivas veio de Rita Borioni, membro do conselho de administração do Rai, que afirmou estar “constrangida, irritada e chocada”.

“Vergonhoso. Neste momento, não tenho palavras”, afirmou a administradora numa nota, citada pela Rai, onde afirma que o programa era um misto de “sexismo, lugares comuns, superficialidade, subcultura machista e traços racistas”.

Nesta segunda-feira à tarde, o canal de televisão anunciou que iria cancelar o programa Parliamone Sabato, refere a Ansa.