Lisboa perde para Malmö Prémio da Semana Europeia da Mobilidade 2016

As obras no Eixo Central eram um dos trunfos de Lisboa
As obras no Eixo Central eram um dos trunfos de Lisboa Jornal Público
Jornal Público
Fotogaleria

A cidade de Malmö, na Suécia, venceu o Prémio da Semana Europeia da Mobilidade de 2016, ao qual Lisboa e Skopje, na República da Macedónia, também eram candidatas, revelou nesta segunda-feira a comissária europeia dos Transportes.

A cidade vencedora foi anunciada numa cerimónia realizada na tarde desta segunda-feira em Bruxelas, na Bélgica, que contou com a presença da comissária europeia responsável pelos Transportes, Violeta Bulc, e pelo director-geral do Ambiente da Comissão Europeia, Daniel Calleja.

Na sua conta oficial na rede social Twitter, a comissária felicita a cidade de Malmö, bem como a capital da Bélgica, Bruxelas, esta pelo Prémio do Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável, anunciado na mesma cerimónia.

"Espero que inspirem muitas outras [cidades]", escreveu Violeta Bulc.

Lisboa foi candidata por transformar os seus espaços públicos disponíveis a peões, enquanto Malmö se distinguiu por apostar em bicicletas como meio de transporte sustentável e Skopje por ter um sistema de partilha de viaturas que ajuda os residentes a poupar dinheiro e a proteger o ambiente.

As obras no “Eixo Central” (nas avenidas da República e Fontes Pereira de Melo), o programa “Uma praça em cada bairro” e a requalificação da frente ribeirinha (com intervenções no Cais do Sodré, no Corpo Santo e no Campo das Cebolas) foram consideradas exemplares pela Comissão Europeia.

Este prémio visa “destacar as autoridades locais que demonstram ter empreendido esforços significativos na promoção da mobilidade urbana sustentável” e teve este ano 63 candidaturas de 23 países.

A 15.ª edição da Semana Europeia da Mobilidade ocorreu de 16 a 22 de Setembro de 2016 num total de 2427 vilas e cidades, a maior participação de sempre.

Quanto à 5.ª edição do Prémio do Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável, estavam nomeadas Bruxelas, “pelos seus sistemas logísticos e inovadores”, Budapeste (Hungria), pela “integração do frete na estratégia global de mobilidade”, e Estocolmo (Suécia), pela sua “estratégia de estímulo da economia local, limitando o impacto adverso do frete urbano”.

Este prémio pretende recompensar as autoridades locais bem-sucedidas no planeamento da mobilidade que dê resposta às necessidades de transporte de pessoas e empresas, melhorando a qualidade de vida.