Lisboa perde para Malmö Prémio da Semana Europeia da Mobilidade 2016

Fotogaleria
As obras no Eixo Central eram um dos trunfos de Lisboa Jornal Público
Fotogaleria
Jornal Público

A cidade de Malmö, na Suécia, venceu o Prémio da Semana Europeia da Mobilidade de 2016, ao qual Lisboa e Skopje, na República da Macedónia, também eram candidatas, revelou nesta segunda-feira a comissária europeia dos Transportes.

A cidade vencedora foi anunciada numa cerimónia realizada na tarde desta segunda-feira em Bruxelas, na Bélgica, que contou com a presença da comissária europeia responsável pelos Transportes, Violeta Bulc, e pelo director-geral do Ambiente da Comissão Europeia, Daniel Calleja.

Na sua conta oficial na rede social Twitter, a comissária felicita a cidade de Malmö, bem como a capital da Bélgica, Bruxelas, esta pelo Prémio do Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável, anunciado na mesma cerimónia.

"Espero que inspirem muitas outras [cidades]", escreveu Violeta Bulc.

Lisboa foi candidata por transformar os seus espaços públicos disponíveis a peões, enquanto Malmö se distinguiu por apostar em bicicletas como meio de transporte sustentável e Skopje por ter um sistema de partilha de viaturas que ajuda os residentes a poupar dinheiro e a proteger o ambiente.

As obras no “Eixo Central” (nas avenidas da República e Fontes Pereira de Melo), o programa “Uma praça em cada bairro” e a requalificação da frente ribeirinha (com intervenções no Cais do Sodré, no Corpo Santo e no Campo das Cebolas) foram consideradas exemplares pela Comissão Europeia.

Este prémio visa “destacar as autoridades locais que demonstram ter empreendido esforços significativos na promoção da mobilidade urbana sustentável” e teve este ano 63 candidaturas de 23 países.

A 15.ª edição da Semana Europeia da Mobilidade ocorreu de 16 a 22 de Setembro de 2016 num total de 2427 vilas e cidades, a maior participação de sempre.

Quanto à 5.ª edição do Prémio do Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável, estavam nomeadas Bruxelas, “pelos seus sistemas logísticos e inovadores”, Budapeste (Hungria), pela “integração do frete na estratégia global de mobilidade”, e Estocolmo (Suécia), pela sua “estratégia de estímulo da economia local, limitando o impacto adverso do frete urbano”.

Este prémio pretende recompensar as autoridades locais bem-sucedidas no planeamento da mobilidade que dê resposta às necessidades de transporte de pessoas e empresas, melhorando a qualidade de vida.