Crónica

Morreu o inventor

Mesmo na morte Chuck Berry foi roubado. Chuck Berry inventou a música rock. Não foi só o rock and roll. Ele inventou a maneira rock de tocar guitarra. Foi o guitarrista mais inovador e talentoso de toda a música popular do século XX.

Foi um letrista exímio que escrevia letras que confundiam o sexo com a música. Foi um intérprete e um showman verdadeiramente espectacular. Vê-lo tocar, cantar e dançar é deslumbrante, como ver Fred Astaire a namorar uma guitarra, enquanto seduz o público de um teatro cheio.

John Lennon e Keith Richard sabiam que eram boas imitações de Chuck Berry. A música de Chuck Berry deu vida à música deles. Richards conta que uma vez atreveu-se a pegar na guitarra dele, só para ver como era. Berry apanhou-o e desancou-o. Com razão, acrescentou Richards.

Poder ver Chuck Berry em palco, para além de poder ouvi-lo, é uma experiência avassaladora. Ele incorpora as respostas do público na actuação, como se fosse um instrumento musical.

Entre 1955 e 1960 Berry escreveu, cantou, tocou e produziu obras-primas como Johnny B Goode, You never can tell, Maybelline, Rock and roll music e Sweet little sixteen. Inventou o rock and roll vez após vez, após vez. E, no entanto, na versão racista e mentirosa da história da música popular, de quem se fala é do palerma do Bill Haley...

É triste, mas é verdade: a maioria das pessoas conheceu Chuck Berry em 1963, quando ouviu a versão de Roll over Beethoven dos Beatles. Qual é a desculpa de quem ainda não o conhece?