Refugiados

Iémen: 42 refugiados mortos em ataque de helicóptero

Um barco que transportava refugiados para o Sudão foi atacado por um helicóptero ainda não identificado.
Foto
Imagem de uma das vítimas Reuters/ABDULJABBAR ZEYAD

Um barco com refugiados foi atacado na noite de quinta-feira por um helicóptero Apache não identificado. Do ataque resultaram 42 mortos, avançaram a BBC e a AFP, citando a Organização Internacional de Migração (IOM, sigla em inglês). Algumas das pessoas que morreram eram somalis que transportavam documentos das Nações Unidas, avança a AFP.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

As agências noticiosas dão conta de que entre os mortos estavam também mulheres e crianças, de acordo com a BBC.

O barco fazia a ligação entre o Iémen e o Sudão e sofreu o ataque perto do estreito de Bab al-Mandeb, controlado pelos rebeldes huthi, e que serve de entrada no Mar Vermelho, junto à costa do Djibouti. 

Ainda não é certo quem terá atacado o barco de refugiados, uma vez que há várias forças envolvidas na guerra civil no Iémen. Contudo, o Guardian recorda que a Arábia Saudita, que lidera a coligação contra a rebelião xiita, tem helicópteros de ataque como o que terá sido usado.

As últimas informações dão conta que 80 pessoas sobreviveram ao ataque. Shabia Mantoo, da agência da ONU para os Refugiafos (ACNUR), confirmou à Reuters a morte dos refugiados e contou que estes estavam a ser transferidos para o Sudão devido à deterioração das condições do local onde estavam. "Estamos angustiados por este incidente e o que sabemos é que os refugiados viajavam num barco ao largo da costa de Hodeida, que teria sofrido um impacto durante as hostilidades em curso".