Movimento independente avisa PS que é o poder em Matosinhos

Negociações com os socialistas só arrancam depois de os presidentes de junta, independentes, dizerem se querem voltar a ser candidatos.

Foto
Eduardo Pinheiro foi mandatado para negociar com o PS o processo eleiotral em Matosinhos Nelson Garrido

Os autarcas independentes, eleitos pelo Movimento Por Matosinhos, liderado por Guilherme Pinto (1959-2017), que venceu as últimas eleições autárquicas, exigem ter uma “representatividade significativa” na lista para a câmara municipal que a deputada socialista Luísa Salgueiro vai liderar e reivindicam quatro dos sete primeiros lugares da lista.

“A distribuição dos lugares na lista para a câmara municipal como princípio de negociação com o PS parece-nos aceitável para não dizer generosa”, declarou ao PÚBLICO um dos autarcas com responsabilidades no executivo, lembrando que os matosinhenses em 2013 votaram nos independentes para liderar a câmara, e não no Partido Socialista.

Esta posição foi assumida segunda-feira à noite numa reunião dos autarcas independentes, convocada pelo novo presidente da Câmara de Matosinhos, Eduardo Pinheiro, que foi, entretanto, mandatado para encetar negociações com o PS com vista à constituição das listas para os órgãos autárquicos.

De acordo com relatos feitos ao PÚBLICO, Manuel Leão, líder da bancada municipal dos independentes, expressou a sua oposição quanto à forma como o processo eleitoral autárquico se vai desenrolar com o PS e chegou mesmo a ameaçar abandonar a sala. Só recuou na decisão depois de Eduardo Pinheiro ter anunciado que os actuais presidentes de juntas das quatro uniões de freguesia (todos independentes), devem ser reconduzidos nas eleições deste ano.

Tendo em conta que, desta vez, os independentes não vão a votos sozinhos, sendo obrigados a negociar com os socialistas os lugares nas listas, a gestão do processo em relação aos presidentes de junta é particularmente sensível. O PÚBLICO sabe que Eduardo Pinheiro vai tratar esta questão com pinças e só dará início ao processo negocial com o PS depois de ouvir cada um dos presidentes de junta no sentido de saber se estão disponíveis para serem de novo candidatos.

Quanto à assembleia municipal, a actual presidente, Palmira Macedo, aproveitou a reunião para manifestar a disponibilidade para continuar com o projecto independente iniciado em 2013. Feita esta declaração de princípio, Palmira Macedo será, de novo, candidata à presidência da Assembleia Municipal de Matosinhos.