Cáritas de Coimbra e Setúbal também têm milhões em bancos

A Cáritas de Coimbra
empregou 726 pessoas em quatro creches, dois jardins de infância, 57 centros de actividades de tempos livres e vários outros serviços
Foto
A Cáritas de Coimbra empregou 726 pessoas em quatro creches, dois jardins de infância, 57 centros de actividades de tempos livres e vários outros serviços Enric Vives Rubio

A Cáritas de Lisboa não é a única das 20 cáritas diocesanas a dispor de uma situação financeira confortável. As de Coimbra e Setúbal tinham também, em 2014, elevados valores em caixa e depósitos bancários: a primeira contava com 7,3 milhões de euros e a segunda com 2,8 milhões de euros.

Em matéria de lucros líquidos, a Cáritas de Coimbra conseguiu 811.579 euros no mesmo ano, enquanto a de Setúbal registou um resultado negativo de 48.571 euros. A grande diferença destas instituições em relação à sua congénere de Lisboa está em que a dimensão das suas actividades sociais é incomparavelmente maior do que a da capital.

Coimbra registou gastos totais de 15,3 milhões de euros em 2014 e empregou 726 pessoas em quatro creches, dois jardins de infância, 57 centros de actividades de tempos livres, um lar para jovens, um centro de acolhimento temporário, dois centros comunitários, quatro lares de idosos, 18 centros de apoio domiciliário a idosos, uma unidade de cuidados de longa duração, uma clínica de medicina física e de reabilitação, um centro de atendimentos a doentes com sida, um internamento para grandes dependentes e vários serviços de apoio a toxicodependentes.

A Cáritas de Setúbal, por seu lado, conta com dois centros sociais com serviços de apoio a doentes com sida, pessoas sem abrigo, creche, pré-escolar e ATL, um centro de acolhimento para crianças em perigo, um centro comunitário com várias valências, uma creche, um jardim de infância e um ATL.

Onze das 20 cáritas diocesanas não têm nos seus sites qualquer informação relativa às suas contas anuais.