Universidade vai monitorizar agueiros e erosão costeira na Praia de Mira

O projecto-piloto da instituição de Aveiro servirá, por exemplo, para prevenir inundações.

O projecto será desenvolvido durante três anos
Foto
O projecto será desenvolvido durante três anos PAULO PIMENTA

A Câmara de Mira e a Universidade de Aveiro assinaram nesta quinta-feira um protocolo de cooperação que permitirá monitorizar em tempo real a erosão costeira e os agueiros (correntes de retorno) na Praia de Mira.

"Trata-se de um projecto piloto de vídeo-monitorização que vai reforçar a segurança da nossa praia e que poderá ser acompanhado pelos cidadãos através de uma aplicação para telemóveis que está a ser desenvolvida pela Universidade", explica o presidente da autarquia, Raul Almeida.

O projecto será desenvolvido durante três anos pelo Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da Universidade de Aveiro, que se propõe desenvolver um sistema de monitorização costeira (componente de vídeo) que visa adquirir e processar informação relativamente a parâmetros hidrodinâmicos e morfológicos, do domínio constituído pela praia subaérea e cordão dunar e/ou dique arenoso no troço costeiro Praia de Mira - Poço da Cruz".

Esses parâmetros, explica Paulo Baptista, líder do projecto, "são relevantes para a previsão de potenciais galgamentos e eventuais inundações de zonas internas a curto prazo e para os estudos sobre a erosão costeira". A escolha da Praia de Mira para receber o projecto-piloto deveu-se ao facto de o Bairro dos Pescadores ter um "grande potencial de risco", uma vez que algumas zonas se situam abaixo do nível do mar.

Um dos resultados práticos do projecto será sentido já durante a próxima época balnear através da "despistagem" em tempo real dos agueiros, correntes de retorno que põem em causa a segurança dos banhistas.

"De dez em dez minutos será comunicado às autoridades, nomeadamente aos nadadores salvadores, a existência de agueiros na praia", garante Paulo Baptista, admitindo que essa informação possa ser consultada pelo público em geral quando for lançada a aplicação para telemóveis que está a ser desenvolvida pela Universidade.

Outra vantagem será a previsão, com um avanço de três dias, de factores acrescidos de erosão desencadeados por temporais ou outros fenómenos meteorológicos.

"O projecto vai melhorar as condições de segurança na praia", garante o presidente da autarquia, que vai avançar ainda este mês com a construção de uma infra-estrutura de apoio para instalação do sistema de vídeo-monitorização, mais concretamente uma torre com altura aproximada de 20 metros, um investimento a rondar os cinco mil euros.

"Este é um bom exemplo da cooperação entre a Universidade de Aveiro e as autarquias", resumiu o reitor da Universidade, Manuel Assunção.

Sugerir correcção