Portugal é o país da União Europeia com a taxa de fertilidade mais baixa

Dados do Eurostar indicam que Portugal foi o país onde mais caiu o número de nascimentos nos últimos 15 anos.

As portuguesas, em média, têm o primeiro filho com 29,5 anos
Foto
As portuguesas, em média, têm o primeiro filho com 29,5 anos Daniel Rocha

Portugal é o país da União Europeia com a taxa de fertilidade mais baixa e aquele onde mais diminuiu o número de nascimentos nos últimos 15 anos, segundo os dados do Eurostat, publicados nesta quarta-feira.

Os indicadores relativos aos nascimentos e à fertilidade em 2015 referem que, entre 2001 e 2015, o número de crianças nascidas em Portugal desceu de 112.774 para 85.500. No lugar oposto, a Suécia foi o país que registou um maior crescimento nesta matéria (25,6%), passando de 91.466 nascimentos, em 2001, para 114.870, em 2015.

Em 2015, nasceram nos países da União Europeia 5103 milhões de crianças, mais 40.217 crianças do que em 2001, um crescimento de 0,8%.

Em termos de taxa de fertilidade, Portugal é o país com o valor mais baixo, tendo passado de 1,45 crianças por mulher, em 2001, para 1,31, em 2015. Pelo contrário, a França (1,96) e a Irlanda (1,92) são os Estados com mais elevada taxa de fertilidade.

Os dados do Eurostat indicam que a Bulgária (26 anos), a Roménia (26,3), a Letónia (26,5) e a Polónia (27) são os países com onde as mulheres têm, em média, os filhos mais cedo. O contrário acontece na Itália (30,8 anos), Espanha (30,7), Luxemburgo e Grécia (30,2). Em 2015, a idade média das mulheres aquando do primeiro filho em Portugal era de 29,5.