Red Bull Air Race regressa ao Douro a 2 e 3 de Setembro por seis milhões de euros

A etapa do Douro será a antepenúltima da prova que arrancou a 10 de Fevereiro, em Abu Dhabi, nos Emiratos Árabes Unidos.

ADRIANO MIRANDA
Foto
ADRIANO MIRANDA

O regresso da Red Bull Air Race aos ares do Porto e Vila Nova de Gaia, no fim-de-semana de 2 e 3 de Setembro, representa um investimento global de seis milhões de euros, metade dos quais suportado por várias entidades nacionais, incluindo os dois municípios liderados, respectivamente, por Rui Moreira e Eduardo Vítor Rodrigues. A apresentação do evento que, entre 2007 e 2009 atraiu muitos milhares de pessoas às duas margens do rio Douro, aconteceu esta quarta-feira, com o director geral do evento, Erich Wolf, a afirmar que esta é “uma das melhores” etapas de corrida aérea acrobática a baixa altitude, graças “ao cenário único de ambas as margens”.

Depois de três anos consecutivos a sobrevoar o Douro, os aviões da Red Bull Air Race tinham abandonado Portugal, por falta de patrocínios. Agora, os municípios do Porto e Gaia comprometem-se a investir, cada um, 225 mil euros na prova, assumindo, individualmente, os encargos logísticos que cada cidade venha a ter. Os cerca de 2,5 milhões de euros que ficam em falta serão assumidos pelo Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) e pelo Turismo de Portugal, contando, para tal com candidaturas a fundos comunitários. Aos jornalistas, Rui Moreira garantiu que estas candidaturas estão “aprovadas” – uma “condição sine qua non” para que as negociações que se prolongaram por cerca de um ano chegassem a bom porto.

Pelos ares do Porto e Gaia vão andar as acrobacias de 23 pilotos, representando 15 países, que, este ano, estão a participar na Red Bull Air Race. A prova arrancou em Abu Dhabi, nos Emiratos Árabes Unidos (10 e 11 de Fevereiro) e terá no rio Douro a sua sexta e antepenúltima etapa. “Estou encantado e honrado por trazermos a Red Bull Air Race de volta ao Porto”, disse Erich Wolf, defendendo que “Porto e Gaia têm uma arquitectura antiga que é um cenário espectacular para a 6.ª corrida desta época”.

Um “orgulho enorme” foi o que disse estar a sentir o presidente do TPNP, Melchior Moreira, na apresentação do evento, manifestando-se tranquilo quanto ao investimento que será feito. “Não tenho dúvidas que o retorno está assegurado. Este é o evento com maior retorno num só fim-de-semana”, disse. E, para que não restem dúvidas e novos investidores se possam interessar por eventos de promoção turística da região, Melchior Moreira explicou que o impacto financeiro do evento nas duas cidades directamente envolvidas e na região será estudado “por uma universidade do Porto”, a quem este trabalho será encomendado.

Já os presidentes das câmaras do Porto e Gaia salientaram a cooperação entre os municípios e as restantes entidades, que permitiram, o regresso da prova às suas cidades. O socialista Eduardo Vítor Rodrigues alertou para o facto de o crescimento turístico que se tem verificado em Portugal – e na região – “não ser um dado adquirido”, sendo necessário “cuidar, acarinhas e investir”, com destaque para eventos de repercussão internacional como este. Já Rui Moreira preferiu lembrar como a cidade tem apostado na “diversidade”, não tendo ainda repetido dois grandes eventos desportivos neste mandato.

O autarca realçou ainda o facto de todos os eventos relacionados com a Red Bull Air Race serem gratuitos – “não há bancadas pagas”, disse, numa aparente alusão às corridas de automóveis do Circuito da Boavista – e não se quis comprometer com a promessa de que o evento estará de volta no próximo ano, apesar de Erich Wolf ter dito que ficaria muito satisfeito por voltar, “se for convidado”.

Este ano, além do Douro, a corrida regressa também a San Diego, nos Estados Unidos da América (15 e 16 de Abril), e estreia-se em Kazan, na Rússia (22 e 23 de Julho). A etapa do Douro será a antepenúltima da prova que arrancou a 10 de Fevereiro, em Abu Dhabi, nos Emiratos Árabes Unidos, e que passa ainda por Chiba, no Japão (3 e 4 de Junho), Budapeste (Hungria, 1 e 2 de Julho), Lausitzring, na Alemanha (16 e 17 de Setembro), antes de encerrar em Indianópolis, nos Estados Unidos, a 14 e 15 de Outubro.