Paulo Nozolino revela Loaded Shine na XX edição do PhotoEspaña

Festival de fotografia madrileno celebra datas redondas até 2018. Exposição de Nozolino terá 20 imagens e será comissariada por Alberto García-Alix.

Fotogaleria
As fotografias de Loaded Shine mostram a “preocupação eterna” de Nozolino com “o estado do mundo” Paulo Nozolino
Fotogaleria
As fotografias de Loaded Shine mostram a “preocupação eterna” de Nozolino com “o estado do mundo” Paulo Nozolino
Fotogaleria
Capa de Loaded Shine, ainda por editar DR

O PhotoEspaña está a preparar uma dupla celebração que se estenderá até 2018: a XX edição do festival, já este ano, e o 20.º aniversário da fundação, no próximo ano. A programação destes aniversários redondos ainda não foi desvendada, mas o ípsilon sabe que Paulo Nozolino é um dos nomes fortes do festival deste ano, que decorre em Madrid entre 31 de Maio e 27 de Agosto. O trabalho de Nozolino fará parte de uma exposição colectiva comissariada pelo fotógrafo espanhol Alberto García-Alix, que inclui ainda trabalhos de Antoine D´Agata, Anders Petersen e Pierre Molinier.

As imagens que Paulo Nozolino mostrará na sala Goya, no Círculo de Bellas Artes, um dos espaços expositivos mais carismáticos da cidade, sairão de um corpo de trabalho reunido recentemente e que abarca imagens captadas entre 2008 e 2013 em cidades como Nova Iorque, Lisboa, Paris e Berlim, bem como em zonas rurais de Portugal e França. Loaded Shine, assim se chama a exposição, tem também uma versão em livro (48 páginas, 20 fotografias) que deve sair em breve com a chancela da Steidl. Na descrição da obra, a editora alemã refere que se tratam de fotografias com a “habitual sintaxe simbólica negra” presente na obra de Nozolino. Sublinhando uma prática fotográfica intimamente ligada ao suporte analógico, a Steidl revela ainda que esta série de imagens verticais mostra a “preocupação eterna” de Paulo Nozolino com “o estado do mundo” e dá conta da sua “busca pela imagem pura, verdadeira e não-manipulada”.

O PhotoEspaña encara este momento de celebração como uma oportunidade para passar em revista o que se passou nos últimos 20 anos no campo da fotografia e das artes visuais. Uma discussão que não poderá evitar as profundas transformações geradas pelos meios digitais e as novas dimensões que trouxeram à arte.