O que é o VX, a arma que matou o irmão de Kim Jong-un?

Kim Jong-nam, de 46 anos, foi morto na semana passada, na Malásia. Esta sexta-feira foram encontrados vestígios deste químico letal nos olhos e na cara do norte-coreano.

Foto
O ataque foi protagonizado por duas mulheres, no aeroporto de Kuala Lumpu EPA/JEON HEON-KYUN

Kim Jong-nam, meio-irmão do líder da Coreia do Norte, foi executado com recurso a um gás asfixiante altamente tóxico, o VX, revelou esta sexta-feira a polícia da Malásia. “Podem imaginar o VX como uma espécie de pesticida com esteróides, uma substância extraordinariamente tóxica”, explicou Bruce Bennett, especialista em armas do instituto de pesquisa Rand Corporation dos Estados Unidos, em declarações à Reuters. O especialista acredita que "é pouco provável" que a substância tenha sido fabricada na Malásia. 

Sem odor ou sabor, mas absolutamente letal, o VX é uma arma química altamente poderosa que funciona como agente nervoso capaz de matar em poucos minutos. De cor âmbar e textura oleosa, tem um aspecto semelhante a um óleo de automóveis. A sua potência, a mais elevada num agente químico, faz com que uma porção mínima seja suficiente para matar alguém. É por isso algo que, em pequenas quantidades, é fácil de transportar e difícil de detectar na segurança de um aeroporto. De acordo com especialistas citados pela Reuters, pode ser transportada com segurança, sem afectar quem o carrega, desde que esteja bem selado. 

Como actua?
Classificado pelo Council on Foreign Relations como o “agente químico mais fatal alguma vez criado”, o químico é rapidamente absorvido pelo corpo, o que dificulta a eficácia de um antídoto, mesmo que a sua administração seja rápida. Pode ser utilizado em forma de vapor ou misturado com água.

PÚBLICO -
Aumentar

Como afecta o corpo?
Os agentes neurotóxicos inibem o funcionamento de uma enzima e estimulam em excesso as glândulas e os músculos, o que os fatiga rapidamente, atacando a respiração. Em poucos momentos, a pessoa exposta ao químico fica com dificuldades em respirar e com náuseas, perde a consciência, entra em paragem cardíaca ou respiratória. Os sintomas dependem da dosagem e da forma como entra no organismo: inalado, ingestão ou por contacto com a pele ou olhos.

A velocidade da sua acção depende da forma sob a qual actua. Na forma líquida, as reacções podem acontecer no período de minutos ou manifestar-se até 18 horas depois, explica o Centro de Controlo e Prevenção de Doença dos EUA (CDC, na sigla inglesa). Caso o químico esteja na forma de vapor a sua acção é mais imediata e bastam segundos para que se dêem as primeiras manifestações. Os cálculos da dose letal detalham que apenas 0,04 de mg/kg são o suficiente para matar alguém quase imediatamente. Já a inalação exige uma concentração de 36 miligramas.

Quais os sintomas?
Sonolência e dor de cabeça, somam-se à visão turva e corrimento nasal. A produção de saliva aumenta e o ritmo cardíaco é alterado, podendo acelerar ou diminuir. O mesmo acontece com a pressão arterial que pode subir ou baixar drasticamente. As náuseas e dores abdominais podem resultar em vómitos e diarreia. Suores excessivos e espasmos musculares são outros dois sintomas. A exposição a uma grande dose provoca convulsões, perda de consciência, paralisia e insuficiência respiratória e coma, conduzindo à morte.

Quando surgiu?
Criada num laboratório britânico no início dos anos 1950, por Ranaji Ghosh, em nome da Imperial Chemical Industries, esta substância foi mais tarde aperfeiçoada por norte-americanos durante a Guerra Fria, mas não existe registo da sua utilização enquanto arma de guerra durante este período, conta a Academia de Ciências dos Estados Unidos.

No entanto, em 1968, um acidente no Estado norte-americano do Utah terá libertado cerca de nove quilos de VX por um terreno, provocando a morte de seis mil ovelhas. Um ano depois, 23 soldados e um civil foram enviados ao hospital após a exposição a um agente nervoso, armazenado numa base militar norte-americana em Okinawa, no Japão, conta um relatório da mesma instituição que data a 2004, sem dar a confirmação de que se tratasse deste componente. Terá ainda sido utilizada durante os anos 80, no conflito entre o Iraque e Irão.

A seita japonesa Aum Shinrikyo (Verdade Suprema), fundada em 1980, utilizou o agente VX no assassínio de um funcionário em Osaka. Repetiu o método para matar oponentes e criar o pânico no país. Em 1995, a mesma seita utilizou gás sarin para o atentado no metro de Tóquio que matou 13 pessoas e intoxicou 6 mil. 

Quem a tem? 
Apenas a Rússia e os EUA admitiram ter o químico letal, mas acredita-se que outros países também a possuam. A substância foi oficialmente banida em 1993 pela Convenção de Armas Químicas, e todos os países que assinaram o tratado da Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ) comprometeram-se a destruir as armas químicas. A sua missão foi premiada em 2013 com o Nobel da Paz. A Coreia do Norte faz parte do restrito número de países que não assinaram o acordo. Ao regime norte-coreano juntam-se o Egipto, Israel e Sudão do Sul.