Jorge Jesus: "As ideias de jogo têm de entrar nos 90 e tal minutos"

O problema do Sporting, diz o seu treinador, tem sido falta de consistência durante o jogo e durante a época. Mas, garante, a equipa está a melhorar.

"Estávamos habituados a oito, nove dez vitória consecutivas"
Foto
"Estávamos habituados a oito, nove dez vitória consecutivas" Rafael Marchante/Reuters

O Sporting não tem conseguido ser consistente, nem durante um jogo, nem durante a temporada. É este o problema identificado por Jorge Jesus para os resultados da presente época. A equipa não tem conseguido ter um rendimento uniforme durante um jogo e nem sempre consegue transportar um bom nível exibicional de um jogo para o outro, mas o técnico "leonino" espera que a vitória frente ao Moreirense tenha continuidade no jogo deste sábado, em Alvalade, frente ao Rio Ave, a contar para a 22.ª jornada da Liga portuguesa.

"O Sporting tem vindo a melhorar nestas últimas jornadas em função ao que estávamos a produzir. O último jogo foi prova disso. Vai ser um jogo complicado, o Rio Ave é uma equipa bem organizada defensivamente, com bons posicionamentos tácticos, com jogadores com qualidade - como o Tarantini, que passou ao lado de uma equipa grande. Espero um Rio Ave a complicar-nos o jogo, com momentos de posse de bola com qualidade. O Sporting vai tentar impedir isso, mas as ideias de jogo têm de entrar durante os 90 e tal minutos, não apenas nos segundos 45", refere o técnico "leonino".

Essa falta de consistência também acontece de um jogo para o outro, acrescentou Jesus: "É isso que andamos à procura. Estávamos habituados a oito, nove, dez vitórias consecutivas. Mas o que importa é o presente. Temos de descobrir o presente para olhar para o futuro com outros olhos. algumas vezes fomos culpados, outras vezes não. Mas o nosso primeiro ano foi de muita força, não é fácil fazer 86 pontos."

A defesa tem-se mostrado bastante permeável, mas Jesus não ofereceu grandes explicações para essa debilidade, dizendo apenas que a equipa vai melhorar nos 14 jogos que ainda tem nesta temporada: "Temos um modelo defensivo que muitas equipas têm. Este ano não está a acontecer. Vamos tentar equilibrar ao máximo as nossas ideias defensivas, trabalhar em cima da ideia e melhorar, porque temos capacidade para o fazer."

A dez pontos do líder e no terceiro lugar, dificilmente o Sporting pensará ainda no título, mas Jesus não quer jogadores sem motivação no campeonato: “A motivação tem de ser sempre máxima. Estás mais motivado quando corres atrás de um objectivo. Os títulos foram-se perdendo, mas isso não pode ser um motivo para que os jogadores não tenham motivação, tem de se estar sempre motivado e pressionado para ganhar.”

O jogo deste sábado será o 400.º de Rui Patrício na primeira equipa do Sporting. “A história dele no Sporting é de grande valor, É um número muito interessante. Li a entrevista que ele deu e disse que quer ganhar títulos no Sporting. É tudo muito bom, mas tem de ter títulos”, diz o técnico, para quem o n.º 1 “leonino” é o melhor guarda-redes a actuar em Portugal: “Considero eu e considera o seleccionador nacional. Tem evoluído muito nos últimos anos e ainda vai melhorar.”

Como reforços de Inverno o Sporting só teve os regressos dos emprestados João Palhinha, Daniel Podence e Francisco Geraldes. Dos três, Jesus ainda não utilizou Geraldes, que considera estar mais atrasado na adaptação aos seus métodos: “São três jogadores que regressaram a casa, cada um com mais possibilidades que outros em função da sua posição. A adaptação não é fácil. Os que se adaptaram mais facilmente são os que temos solicitado mais para o jogo [Palhinha e Podence].”